Cidades

Em Dracena, família vive drama para fazer traslado de corpo de brasileiro que morreu na Inglaterra

Família faz campanha para reunir R$ 60 mil e fazer o traslado do corpo do rapaz para Dracena.

Por: Da Redação | Com informações do G1 Presidente Prudente atualizado: 30 de novembro de 2021 | 17h35
João Rafael Gasparelli, de Dracena, morreu em Londres, na pensão onde morava (Cedida/Família). João Rafael Gasparelli, de Dracena, morreu em Londres, na pensão onde morava (Cedida/Família).

A morte do brasileiro João Rafael Gasparelli, de 32 anos, em Londres, mobiliza sua família em Dracena, que vive um drama para fazer o traslado do seu corpo, cujas despesas estão previstas em R$ 60 mil. Sem condições para bancar com os custos, a situação tem ampliado o sofrimento dos pais e parentes.

O caso foi mostrado pelo G1 e pela TV Fronteira (assista). João Rafael estava há menos de um ano na Inglaterra, onde foi trabalhar como entregador. Ele foi encontrado morto na pensão onde morava, no último fim de semana.

Conforme relato da Família, a polícia de Londres informou que o rapaz não tinha sinais de violência pelo corpo e a suspeita é de que ele tenha sofrido um infarto fulminante. Todavia, os parentes aguardam os laudos dos exames para confirmar a causa da morte.

João Rafael Gasparelli (Cedida/Família).

O rapaz era gêmeo com outra irmã, e o único filho homem de um total de quatro filhos do casal dracenense. O desejo da família é velar e enterrar o corpo de João Rafael em Dracena.

“Eu queria ver ele [João] mais uma vez, nem que for morto, queria ver mais uma vez. Queria fazer o velório e o enterro dele aqui em Dracena para pelo menos a gente visitar o túmulo dele. Meu filho querido, meu filho amado, que foi embora em busca de um sonho e vai voltar para casa em um caixão. Nunca esperava isso, é muito difícil”, disse Aparecida Félix da Silva Gasparelli, mãe do rapaz, à TV Fronteira e ao G1.

Publicidade

Supermercado Godoy
Clínica Savi

Publicidade

JVR Segurança
Rede Sete Supermercado
Daiane Mazarin Estética

De acordo com a família, o valor de R$ 60 mil contempla as despesas do traslado e dos serviços do necrotério de Londres. Não há data para liberação do corpo. As despesas finais, do necrotério, serão calculadas até a data da remoção.

O consulado brasileiro em Londres disse à família que prestará todo o apoio burocrático, em relação a documentos e para a liberação do corpo, porém as despesas do traslado não são assumidas pelo governo do Brasil, ficando esse custo sob responsabilidade dos familiares.

(Divulgação).

Do montante previsto de R$ 60 mil, os familiares arrecadaram cerca de R$ 20 mil. Eles fazem uma campanha em busca de doações, em qualquer valor, que podem ser transferidas pela chave PIX 206.463.198-41, em nome de Fabiana Gasparelli Mattos.

Publicidade

Tio Panda Adamantina

Publicidade

Insta do Siga Mais