Memória

Entre Coroados e Kaingangs, a presença indígena no extremo oeste paulista

Repensando a presença indígena no extremo oeste paulista.

Tiago Rafael Colunista
Tiago Rafael
Entre Coroados e Kaingangs, a presença indígena no extremo oeste paulista

“Quem me dera ao menos uma vez / Ter de volta todo o ouro que entreguei a quem / Conseguiu me convencer que era prova de amizade / Se alguém levasse embora até o que eu não tinha”.

Índios – Legião Urbana

 * * * 

Acompanhando as notícias dos últimos dias e consequentemente os “atos” do novo Governo, uma de suas medidas me chamou a atenção, a questão das demarcações de terras indígenas, que agora passa a ser de competência do Ministério da Agricultura. É claro que isso gerará controvérsias e mais uma vez a internet será bombardeada pelos “críticos e estudiosos de plantão”.

Pois bem, saindo do conturbado cenário nacional e analisando um pouquinho a nossa região, a questão indígena por aqui sempre foi deixada de lado. Nos diversos textos dos Relatórios das Comissões Geográfica e Geológica do Estado de São Paulo, que datam do início do século XX, narra-se a presença de grupamentos indígenas nas terras que compreendem o chamado “Espigão Aguapeí (Feio) - Peixe, ou seja, aqui onde vivemos.

Expedição realizada no Rio do Peixe. Fonte: Comissão Geográfica e Geológica do Estado de São Paulo - Exploração do Rio do Peixe; 1913. p. 30.

Mapas do período trazem em suas descrições alusivas a esta região, os seguintes dizeres: “Terras habitadas por índios (ou indígenas)”, o que por sua vez também foi “um dos motivos” de sermos uma das regiões mais recentes do estado.

No solo que pisamos atualmente, viviam os índios Coroados, também chamados de Kaingangs, e segundo os relatos da própria Comissão Geográfica e Geológica, frequentemente entravam em conflito com os funcionários destas expedições. Conflitos estes que, eram ocasionados devido ao fato dos índios estarem “protegendo as suas terras” de possíveis “invasores”.

Índios Coroados. Fonte: Comissão Geográfica e Geológica do Estado de São Paulo - Exploração do Rio do Peixe; 1913. p. 33.

Objetos dos Índios Coroados. Fonte: Comissão Geográfica e Geológica do Estado de São Paulo - Exploração do Rio do Peixe; 1913. p. 33.

Infelizmente, muito pouco ou quase nada restou dos grupamentos que aqui viviam (Sim! Muitos foram mortos pelos tais “pioneiros e bandeirantes” que aqui chegavam), grande parte do que se conhece sobre tal assunto, permanece em museus, nos próprios relatos das comissões e em textos acadêmicos.

Nos dias atuais nada se menciona ou quiçá se comenta sobre a presença dos Coroados por aqui, mas dizem por aí, que em um “País e tempo não tão distante” a história está fadada a se repetir.

Tiago Rafael dos Santos Alves é historiador. Acesse aqui seu perfil.

Gabriel Dias é estudante. Acesse aqui seu perfil.

Publicidade

Clinica Lu Applim
Cinema

Publicidade

Insta do Siga Mais