Reflexões Matutas

Angola e Brasil se unem em intercâmbio promovido por escola pública pauliceiense e universidade de Luanda

Escola Estadual Prof. Orlando Guirado Braga, de Paulicéia, e universidade angolana promovem rico contato intercontinental e cultural.

Victor Hugo S. Souza | Historiador, professor, entusiasta das causas regionais e pauliceiense | profvictor97@gmail.com Colunista
Victor Hugo S. Souza | Historiador, professor, entusiasta das causas regionais e pauliceiense | profvictor97@gmail.com
Intercâmbio de saberes e culturas entre Brasil e Angola nessa quinta-feira, 10 (Reprodução). Intercâmbio de saberes e culturas entre Brasil e Angola nessa quinta-feira, 10 (Reprodução).

A Escola Estadual Prof. Orlando Guirado Braga, situada em Paulicéia/SP, promoveu nessa quinta-feira (10) um intercâmbio cultural entre estudantes e professores da unidade com graduandos do curso de Direito da Universidade Gregório Semedo, em Luanda, na África. A interação contou com representações da cultura brasileira graças à cantora Cida Ajala, que abrilhantou o evento on-line apresentando ritmos tradicionais da Alta Paulista.

“Conhecer a diversidade de alimentos, de palavras, o sotaque e as semelhanças entre Angola e o Brasil foi incrível. Além disso achei incrível a colocação sobre o movimento Black Lives Mater no país, essa experiência muda completamente a visão que eu tinha sobre a África e a que eu tenho agora. No geral a mídia mostra apenas uma África passando fome, mas na verdade há muitas riquezas, sobretudo culturais”, Vitor de Souza Pereira, 16, estudante da E.E. Prof. Orlando Guirado Braga.

O projeto “Ubuntu: Sou quem sou porque somos todos nós” foi articulado pelo professor de História e Geografia da rede estadual Victor Hugo S. Souza, pela coordenadora Elaine Cristina Grou e pelos angolanos, Daniel Zinga Miguel Chaves, representando a rádio Frequência MUM, que fez a cobertura do evento e transmitirá para aquele país entrevistas com os discentes brasileiros que participaram do intercâmbio.

Chaves foi o responsável por vincular a instituição paulista ao professor universitário Adelino João Mavinga, um dos organizadores e mediadores do projeto, Mavinga leciona em diversos cursos de diferentes instituições luandenses. A cantora prudentina Cida Ajala cantou para os convidados transoceânicos, músicas autorais disponíveis no Álbum Musical Latitude 21 e o clássico sertanejo “Luar do Sertão”.

“É uma honra ter participado desse intercâmbio! Isso me enche de prestígio intelectual, pedagógico e é enriquecedor. Meus estudantes se sentiram extremamente empolgados. Ficamos realmente alegres com essa troca em escala internacional, ficamos à disposição para outros projetos e eventos em que possamos apresentar o nosso país”, Aldelino João Mavinga, 35, professor universitário em Luanda, Angola.

“Foi uma experiência muito boa participar desse intercâmbio com os estudantes da escola de Paulicéia, esclarecendo curiosidades sobre literatura, cultura, gastronomia e outro. Criando assim a troca de conhecimentos, criando uma boa relação entre estudantes e professores e expandia essa boa energia que cada país pode oferecer para que possamos consolidar essa relação entre as diferentes nações, e trocar conhecimentos mais profundos sobre cada povo, coisas que nem sempre encontramos disponíveis na internet”, complementou a jurista e estudante do curso de Direito da Universidade Gregório Semedo, em Angola, Naura Orlinda Matubravo.

A interação intercontinental permitiu a professores e alunos desconstruírem ideias e estereótipos acerca do continente africano e conhecer por meio dos próprios angolanos as manifestações linguísticas, gastronômicas, religiosas e históricas do país lusófono. O projeto faz com que se cumpra a lei 11.645/08 que versa acerca do ensino da cultura negra no Brasil. Após mais de 1h30, o evento findou-se com agradecimentos do Professor Coordenador do Núcleo Pedagógico (PCNP) Tiago Alves da Silva.

Publicidade

Tio Panda Adamantina

Publicidade

Insta do Siga Mais