Siga Mais

Publicidade

Cinema
Cocipa

Publicidade

UniFAI 1
Clinica Lu Applim

Siga Mais » Notícias » Polícia

Polícia

Polícia Ambiental flagra trio praticando pesca com tarrafa na cachoeira Salto Botelho

10:15 atualizado: 09/12/2017 11:18

Segundo a Polícia Ambiental, há suspeita de que um dos pescadores seria um soldado da PM de Lucélia.

Por: Da Redação

http://www.sigamais.com/noticias/policia/policia-ambiental-flagra-trio-praticando-pesca-com-tarrafa-na-cachoeira-salto-botelho/ Polícia Ambiental flagra trio praticando pesca com tarrafa na cachoeira Salto Botelho
Trio é flagrado em embarcação, cerca de 20m da cachoeira do Salto Botelho, praticando pesca com tarrafa. Dois pescadores são conhecidos da Polícia Militar Ambiental e há suspeita que um terceiro pescador seja soldado da PM (Foto: Cedida/Polícia Ambiental). Trio é flagrado em embarcação, cerca de 20m da cachoeira do Salto Botelho, praticando pesca com tarrafa. Dois pescadores são conhecidos da Polícia Militar Ambiental e há suspeita que um terceiro pescador seja soldado da PM (Foto: Cedida/Polícia Ambiental).

A Polícia Militar Ambiental, na realização da Operação Piracema pelos rios da região, fez um novo flagrante de pesca proibida. A ação predatória dos pescadores foi no Rio Aguapeí, altura do Salto Botelho, em Lucélia. A operação da Polícia Ambiental foi por volta de 16h desta quarta-feira (6).
A equipe da Patrulha Rural e Ambiental, composta pelo sargento Silis, cabo Antônio Carlos e soldado Cremonese realizava fiscalização a pé nas margens do Rio Aguapeí, proximidades da cachoeira Salto Botelho, quando avistou uma embarcação com três tripulantes praticando a pesca com uso de tarrafa, a uma distância de 20 metros da cachoeira.
Os policiais fizeram o registro fotográfico do flagrante e reconheceram dois tripulantes da embarcação, por serem pescadores contumazes na prática da pesca irregular. Um terceiro ocupante da embarcação não foi reconhecido. Já no momento em que o barco se aproximava da margem para desembarque, um quarto envolvido se chegou dirigindo um veículo GM Meriva Joy, placas de Lucélia, desceu do carro e foi ao encontro da embarcação, e, através de gestos e gritos avisou os tripulantes que a Polícia Ambiental encontrava-se no local.
Percebendo a sinalização, os ocupantes do barco não desembarcaram, seguindo rio abaixo, empreendendo fuga. Diante da situação foi procedida a abordagem do condutor do carro, o qual já havia adentrado ao veículo e estava retornando. Foi realizada busca pessoal no condutor bem como vistoria no veículo, sendo encontrados 3 aparelhos de celular, uma chave de veículo e também uma carteira de identidade funcional pertencente a um soldado da Polícia Militar ligado ao pelotão da PM de Lucélia.
Indagado sobre os objetos, o condutor do carro informou que um dos celulares pertence ao Policial Militar e os outros dois aos pescadores já conhecidos da Polícia Ambiental, avistados na embarcação. Ele disse que os três pediram que guardasse os documentos e celulares no carro. A chave também encontrada no interior do Meriva, segundo seu condutor, pertence ao policial militar.
A Policia Ambiental informou que, com o motorista do carro, nada de irregular foi encontrado. Ele declarou aos policiais ter visto apenas os dois pescadores já conhecidos, e alegou não ter visto o policial militar em ato de pesca, apresentando informações desencontradas sobre o mesmo.
A equipe fez diligências pelo rio, porém não conseguiu encontrar os três pescadores. Diante das informações, a ocorrência foi apresentada na Delegacia da Polícia Civil, com base no Artigo 34, Parágrafo Único da Lei Federal nº 9.605/98, com condução do motorista, seu veículo e os objetos localizados no interior do automóvel, por estarem relacionados com os envolvidos na prática da pesca irregular e também na falta de informações do paradeiro do policial militar.
Os Policiais Ambientais solicitaram apoio via rede de rádio e outras equipes da Polícia Militar fizeram diligências na tentativa de encontrar o policial militar pelo bairro Salto Botelho, porém sem êxito.
Já durante a oitiva, na Delegacia de Polícia, o policial militar apareceu pelo local informando ter sido avisado de que a Polícia Militar Ambiental havia conduzido o motorista do automóvel GM Meriva para a delegacia, e que teria ido de carona para o Salto Botelho.
O delegado presente no plantão colheu as declarações do policial militar entregando a identidade funcional e as chaves do veículo, liberando em seguida, porém o seu aparelho celular permaneceu apreendido bem como os outros aparelhos celulares.
Foi efetuado contato com o Comandante do 2º Pelotão da Polícia Ambiental e o Comandante do 1º Pelotão da Polícia Militar de Lucélia para ciência dos fatos e demais providências aplicáveis ao caso. Já as providências administrativas ambientais dos envolvidos na prática da pesca irregular serão efetuadas durante a apuração dos fatos.

Conduta do soldado da PM

Segundo o comando da PM de Lucélia, os fatos noticiados pela Polícia Militar Ambiental estão sendo apurados no âmbito da Policia Militar.

 
1 comentários, Clique aqui para comentar!

Comentários

Arnaldo dos Santos

É indignante a irresponsabilidade dessas pessoas que estão exterminando diversas espécies de peixes em plena piracema! E mais indignante é que elas têm pleno conhecimento de que estão praticando esse crime. Matam espécies de peixes interrompendo seu ciclo de reprodução. E quando termina a piracema continuam destruindo o Rio Aguapeí desenfreadamente por pura ganância eliminando as possibilidades de existência de diversas espécies de peixes e privando as presentes e futuras gerações de desfrutarem de um meio ambiente equilibrado. PARABÉNS PELO TRABALHO DA POLÍCIA AMBIENTAL. Nós cidadãos conscientes apoiamos esse trabalho. Divulguem sempre essas ações.

 

Publicidade

Microdata

Publicidade

Massa FM
Life FM