Saúde

Hospital Regional de Prudente realiza dupla captação múltipla de órgãos simultaneamente

Doações vão ajudar a salvar a vida de 12 pacientes em São José do Rio Preto e São José dos Campos.

Por: Assessoria de Imprensa atualizado: 13 de maio de 2019 | 10h49
Doadores foram um homem, de 44 anos e uma mulher de 46 anos, que morreram na quarta-feira. Familiares autorizaram doações (Fotos: Assessoria de Imprensa/HR). Doadores foram um homem, de 44 anos e uma mulher de 46 anos, que morreram na quarta-feira. Familiares autorizaram doações (Fotos: Assessoria de Imprensa/HR).

Duas famílias deram um grande exemplo de amor ao próximo nessa quinta-feira (9), no Hospital Regional de Presidente Prudente “Dr. Domingos Leonardo Cerávolo”, ao aceitar a doação dos órgãos de seus entes queridos. Com isso, foi possível fazer a captação simultânea de dois pulmões, dois fígados, quatro rins e quatro córneas, que poderão salvar a vida de 12 pessoas em São José do Rio Preto e São José dos Campos.

Os doadores foram um homem, de 44 anos e uma mulher de 46 anos. Eles vieram a óbito na tarde de quarta-feira (8) e a família aceitou fazer a doação. Após os trâmites necessários, as equipes do Hospital de Base de São José do Rio Preto e do Hospital da Beneficência Portuguesa de São José dos Campos vieram de avião até o HR para fazer a captação desses órgãos. Eles chegaram em Prudente nesta quinta-feira (9) por volta das 8h e voltaram para suas cidades por volta das 14h.

Essa foi apenas a terceira vez na história do HR em que um pulmão foi captado. Isso porque o curto tempo de resistência fora do corpo do órgão exige uma mobilização coletiva, conforme explica o coordenador da Comissão Intrahospitalar de Transplantes (CIT) do HR, Renato Ferrari. “O pulmão é o órgão mais difícil de ser ofertado, principalmente num país de dimensões continentais como o nosso. Por isso, todo o esforço dessa equipe de mais de 50 profissionais foi fundamental para que tudo corresse bem”, destaca Renato. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Rede Sete Supermercado
Supermercado Godoy
Monalisa Adamantina
Clínica Savi
2019 - O ano de Super Vantagens

Publicidade

Daiane Mazarin Estética
Haddad
JVR Segurança

Além desse curto tempo, outro fator que reduz as chances de conseguir ofertar pulmões para transplante, conforme explica o coordenador do Programa de Transplantes de Pulmão do Hospital de Base de São José do Rio Preto, Dr. Henrique Nietmann, que veio fazer a captação desse órgão.

“Em média, somente 10% dos doadores tem pulmões saudáveis, que não sofreram as consequências da morte encefálica, então, é um órgão muito escasso. Por isso é fundamental que as famílias se conscientizem, sabendo que com a doação ”, explica o Dr Nietmann.

Ao todo, 50 colaboradores trabalharam para viabilizar essas captações, que envolveu a CIT, UTI, Pronto-socorro, centro cirúrgico e a administração do HR.

Faça parte dessa rede do bem

Os quilômetros de distância que separam o doador e o receptor estão conectados por uma corrente do bem, que vem tentando cada vez mais ganhar adeptos, através da conscientização e orientação à população. Para ser um doador, é preciso manifestar essa desejo à sua família, uma vez que somente ela pode autorizar a doação. 

Publicidade

Cinema
Clinica Lu Applim

Publicidade

Youtube