Educação

Reconhecimento do curso de Medicina da UniFAI é aprovado no CEE-SP

Anúncio da aprovação foi a última fase de um longo processo que avaliou diversos aspectos do curso.

Por: Daniel Torres | UniFAI atualizado: 23 de novembro de 2020 | 18h46
O Bloco V, no Câmpus II, cujas obras de construção já se encontram na fase final, abrigará novas salas de aula e laboratórios especializados, principalmente de Anatomia e Simulação Realística; além do projeto pedagógico, infraestrutura também foi muito importante na aprovação do reconhecimento do curso de Medicina (Imagem: RZS Filmes). O Bloco V, no Câmpus II, cujas obras de construção já se encontram na fase final, abrigará novas salas de aula e laboratórios especializados, principalmente de Anatomia e Simulação Realística; além do projeto pedagógico, infraestrutura também foi muito importante na aprovação do reconhecimento do curso de Medicina (Imagem: RZS Filmes).

O Conselho Estadual de Educação de São Paulo (CEE-SP) aprovou na manhã desta quarta-feira, 18, o reconhecimento do curso de Medicina do Centro Universitário de Adamantina (UniFAI). O anúncio da aprovação foi a última fase de um longo processo que avaliou diversos quesitos para atestar a qualidade dessa formação universitária na Instituição.

As etapas para a aprovação têm início com a elaboração do projeto pedagógico assinado pelo Núcleo Docente Estruturante do curso. "Esse projeto pedagógico é o carro-chefe para que o Conselho Estadual de Educação [de São Paulo, CEE-SP] conheça como é o curso de Medicina e, a partir daí, eles [Conselho] elaboram várias perguntas, sobre pesquisa, extensão, ambulatórios, internato, plano de carreira, por exemplo, sendo vários quesitos que o CEE-SP envia. A gente encaminha para eles as fotos dos alunos atendendo, dos laboratórios, então, é uma avaliação da estrutura física, do corpo docente, das avaliações dos nossos alunos e do nosso internato", explicou o chefe do Departamento de Medicina da UniFAI, Prof. Dr. Miguel Ângelo De Marchi.

Na sequência, são sorteados dois avaliadores do Conselho, que vêm in loco e ficam praticamente dois dias avaliando as instalações, fazem reuniões com docentes, com alunos e com funcionários e, então, emitem um parecer. "Esse parecer, até dia 30 após a visita, é enviado para um relator, que dá continuidade ao reconhecimento. Na ação, o relator faz vários apontamentos questionando coisas que os avaliadores não conseguiram captar do que estamos fazendo", prosseguiu De Marchi ao informar que a visita se deu em março deste ano.

Após realizadas todas as diligências necessárias, respondidas e enviadas de volta ao Conselho, o relatório da avaliação é encaminhado a um novo relator, que emite o parecer final com a nota final do curso e as notas de todos os quesitos avaliados, desde o currículo dos docentes ao comportamento do coordenador com outros coordenadores, dos alunos, pesquisa, extensão, ambulatórios, laboratórios.

"A aprovação do reconhecimento do curso de Medicina vem sacramentar um dos maiores projetos da UniFAI para Adamantina e região, que se iniciou na gestão do Prof. Dr. Márcio Cardim, em 2013, enquanto diretor da FAI e conselheiro do CEE-SP. É o reconhecimento de todo trabalho desenvolvido desde a sua elaboração até a sua aprovação. Quero agradecer a todos os funcionários da Instituição pelo empenho e colaboração para transformar esse sonho em realidade", comemorou o reitor da UniFAI, Prof. Dr. Paulo Sergio da Silva.

Segundo o reitor, esse resultado é a concretização do posicionamento da Instituição como polo de qualidade na assistência em saúde para Adamantina e toda região. "E mais: os investimentos na qualidade do ensino não param por aí. Continuaremos a fortalecer esse projeto com o objetivo de formar sempre médicos altamente capacitados para salvar vidas", completou.

O curso

O curso de medicina da UniFAI, que é integral e tem duração de seis anos, tem como diferencial sua proposta inovadora. Ele já vem estruturado desde o início, sendo disponibilizado após um cuidadoso projeto de implantação, a fim de oferecer aos alunos o melhor em estrutura educacional.
A UniFAI tem tradição em cursos da área da saúde e busca agregar todo seu potencial nesta graduação. Além de corpo docente altamente qualificado, laboratórios e clínicas experimentais, possibilita aos alunos o contato com a prática do ofício desde os primeiros anos do curso.
"Quando foi criado, o objetivo do projeto pedagógico era que os alunos de Medicina da UniFAI tivessem um curso interdisciplinar com formação humanizada e condições de atuar no Brasil como um todo, enfrentando todas as dificuldades, propondo soluções e melhorias. Tudo isso foi possível graças à presteza e capacitação do nosso corpo docente", pontuou o pró-reitor de Ensino, Prof. Dr. Delcio Cardim. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Supermercado Godoy
Clínica Savi

Publicidade

Daiane Mazarin Estética
JVR Segurança
Rede Sete Supermercado

Internato

O Internato corresponde ao estágio curricular obrigatório sob supervisão direta de docentes nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e em hospitais e que serve de aprimoramento técnico e prático daquilo que se aprendeu na teoria do 1º ao 4º ano do curso. De acordo com a Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE), a carga horária mínima do internato deve ser de 35% da carga horária total do curso, ou seja, uma média de dois anos de estágio.
Os alunos do 5º ano do curso cumprem inicialmente as atividades do Internato na Rede Municipal de Saúde de Adamantina e em Mariápolis nos últimos seis meses nas Unidades Básicas de Saúde, Centro de Saúde I, Estratégia de Saúde da Família (ESF) Jardim Adamantina, ESF Cecap, UBS de Mariápolis, no Centro Integrado de Saúde (CIS), onde há atendimento em Ortopedia, Oftalmologia, Neurologia, Dermatologia, Cardiologia, Moléstias Infecciosas, Otorrinolaringologia, Cabeça e Pescoço e Pneumologia. E, na Santa Casa de Adamantina, os internos viram as especialidades de Traumatologia, Cardiologia, Clínica Cirúrgica, Cirurgia Plástica, Pré-anestésico, Clínica Médica, Urologia, Endocrinologia, Enfermarias e Pronto Atendimento.
Após esse período, os estudantes realizam as atividades práticas por um ano e meio em Araçatuba. Durante 18 meses os graduandos recebem ensino didático e prático em Saúde Coletiva, Clínica Médica, Cirurgia Geral com Ortopedia, Ginecologia e Obstetrícia e Pediatria, especialidades básicas da Medicina.

O curso tem duração de 40 horas semanais e é ministrado por um preceptor para cada grupo de cinco alunos. No curso, os alunos participam de aulas, atendimentos da rotina hospitalar e plantões.
A Santa Casa de Araçatuba é um hospital de alta complexidade, considerado de excelência e referência regional para quase 1 milhão de habitantes.

A partir do segundo semestre de 2021 os estudantes de Medicina da UniFAI também farão Internato na Santa Casa de Misericórdia de São Carlos.

Investimentos

Somente nos últimos seis meses de 2019 um montante de R$ 12 milhões foi direcionado para incrementar a infraestrutura física de laboratórios, unidades de atividades práticas e demais ambientes acadêmicos, além da aquisição de equipamentos.

Dentre os investimentos que continuam sendo realizados, foram mais de R$ 6,5 milhões investidos em infraestrutura no Câmpus II; R$ 343 mil na aquisição de contêineres (consultórios móveis); mais de R$ 1,7 milhão na aquisição de equipamentos médicos; e mais de R$ 3,5 milhões repassados para as Santas Casas de Adamantina e Araçatuba para reforma e custeio de atividades de estágio.

No segundo semestre de 2019 foram adquiridos seis Consultórios Médicos Móveis (contêineres) equipados e climatizados, que estão sendo utilizados no atendimento à população na atenção básica em diversas UBSs.

Além disso, uma sala de aula móvel com capacidade para 50 alunos foi alocada na Santa Casa de Adamantina. O foco principal dessa ação é possibilitar uma estrutura adequada para o desenvolvimento prático dos estudantes e, como consequência, ampliar a capacidade de atendimento à população no município.

Já as obras de construção do Bloco V, no Câmpus II, já se encontram na fase final. O local abrigará novas salas de aula e laboratórios especializados, principalmente de Anatomia e Simulação Realística.
Entre outras ações de infraestrutura estão a reforma e ampliação do Pronto-Socorro e dos leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Adamantina, que passaram de quatro para dez e que foi inaugurada em maio deste ano, contando com equipamentos de última geração comprados pela UniFAI (o investimento em equipamentos é da ordem de aproximadamente R$ 3 milhões).

Outra conquista foi a inauguração do CIS, em parceria com a Prefeitura de Adamantina, que funciona no prédio que seria destinado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA). No CIS estão sendo oferecidos serviços de Fisioterapia, Nutrição, Psicologia, Fonoaudiologia, Pediatria, Cardiologia, Infectologia e Ginecologia e Obstetrícia prestados pelos profissionais da Prefeitura.

Os alunos de Medicina da UniFAI, em regime de internato, atendem nas especialidades de Oftalmologia, Reumatologia, Cardiologia, Neurologia, Dermatologia, Endocrinologia, Ortopedia, Gastroenterologia e Moléstias Infecciosas, o Ambulatório de Alergias, Obesidade e Gestantes de Alto Risco.

Todas essas ações elevaram o número de atendimentos médicos nas unidades de saúde das cidades que mantêm convênio com a UniFAI. Em Adamantina, por exemplo, estão sendo realizadas, somente pelos estudantes de Medicina, um total de 20 a 22 consultas por dia (dados anteriores à pandemia), em cada unidade de saúde, além do Ambulatório de Especialidades que conta com vários profissionais de diversas especialidades, de acordo com as informações repassadas pela coordenação do curso.

Publicidade

Tio Panda Adamantina

Publicidade

Cinema
Insta do Siga Mais