Saúde

Servidor tem parada cardiorrespiratória no trabalho; colega intervém com manobra de reanimação

Caso ocorreu no almoxarifado municipal de Adamantina.

Por: Da Redação atualizado: 9 de novembro de 2023 | 06h34
Almoxarifado municipal de Adamanina (Arquivo/Siga Mais). Almoxarifado municipal de Adamanina (Arquivo/Siga Mais).

Um servidor da Prefeitura de Adamantina que integra a equipe da coleta de lixo sofreu uma parada cardiorrespiratória (PCR) no início da tarde desta segunda-feira (6) no almoxarifado municipal, quando estava no local após a jornada de trabalho do dia. O servidor tem cerca de 40 anos. Ele estava sentado em um banco, em um pátio coberto no almoxarifado, quando caiu em crise.

A queda foi percebida pelos colegas de trabalho, que se mobilizaram. Um deles, o eletricista Fernando Galheira, conhecedor das técnicas de reanimação cardíaca, interviu e passou a realizar as manobras de primeiros socorros para ressuscitação da vítima. Ele foi ajudado por outros funcionários. Uma servidora auxiliou ao segurar a cabeça da vítima e liberar as vias aéreas, enquanto ele conduzia as manobras vitais.

O SIGA MAIS conversou com Fernando na manhã desta terça-feira (7). Ele contou que com o protocolo de manobras conseguiu restabelecer as funções cardiorrespiratórias da vítima, logo após iniciar a intervenção. Porém, a mesma voltou a sofrer nova parada, e ele repetiu a operação. Em paralelo aos primeiros socorros, no local, o Corpo de Bombeiros foi acionado.

Com a chegada dos socorristas os profissionais assumiram os cuidados e levaram o servidor municipal ao pronto-socorro da Santa Casa de Adamantina, onde permaneceu sob os cuidados da equipe médica e foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Publicidade

Dr. Paulo Tadeu Drefahl | Cirurgião Plástico
Supermercado Godoy

Publicidade

Rede Sete Supermercado
JVR Segurança

O eletricista Fernando integra o quadro da secretaria municipal de obras em Adamantina. Para a atividade que exerce ele tem o curso NR-10, obrigatório para profissionais que interagem com eletricidade. No programa previsto no curso há conteúdos sobre primeiros socorros. Além dessa bagagem ele também já atuou como socorrista e possui graduação em fisioterapia. Soma-se ainda sua atividade como atleta. Ele disse já ter prestado os primeiros socorros em situações anteriores.

A sua condição, em conhecer o protocolo de reanimação cardiorrespiratória, permitiu prestar os primeiros socorros ao colega de trabalho nesta segunda-feira. “O importante é manter a calma”, disse. “Observei os sinais vitais – ver, ouvir e sentir – e realizei o procedimento”, conta Fernando. Ele frisou o apoio de uma funcionária, também colega de trabalho, que segurou a cabeça da vítima para manter uma posição segura para deixar as vias respiratórias da vítima livres.

Alerta

O episódio vivido nesta segunda0-feira desperta a atenção das diferentes organizações e empregadores, para que promovam treinamentos em suas equipes permitindo que ajam em situações excepcionais, em que a rápida intervenção e os primeiros socorros podem ser decisivos para salvar vidas.

Manobra para reanimação cardíaca (Prostooleh/Freepik).

Em Adamantina o Corpo de Bombeiros tem atuado com treinamentos públicos coletivos, e atividades como palestras e orientações, sobre cuidados de primeiros socorros. Entre os temas abordados estão a reanimação cardiorrespiratória e manobras de desengasgamento, proteção em caso de traumas e fraturas, entre outras orientações.

A corporação estadual disponibiliza um conjunto de materiais educativos, em diversas áreas. O SIGA MAIS localizou um deles, sobre a reanimação cardiorrespiratória (acesse aqui).

Publicidade

Daiane Mazarin Estética

Primeiros socorros são decisivos

Seja profissional de saúde ou leigo, o conhecimento da manobra de reanimação cardiorrespiratória é essencial diante de uma emergência nessa área.

Segundo a American Heart – informa o site da Escola de Educação Permanente (EPP) do Hospital das Clínicas - Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSO) - mais de 61% das paradas cardiorrespiratórias acontecem no ambiente extra-hospitalar, isto é, longe dos hospitais. E a taxa de sobrevivência cai 10% após cada minuto sem socorro. Assim, após identificar a PCR, é preciso saber agir. Se executadas rapidamente e com eficiência, as manobras de reanimação aumentam, e muito, a chance de recuperação da vítima.

No Brasil, ainda conforme o site, os números de parada cardiorrespiratória (PCR) trazem um alerta e revelam a necessidade da conscientização sobre o assunto. Por dia, são mais de 720 casos no país, segundo a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP). Um total de 262 mil paradas cardíacas no ano. A publicação no site é de outubro de 2021.

Publicidade

Cóz Jeans
Shiba Sushi Adamantina
P&G Telecomunicações

Publicidade

Insta do Siga Mais