Saúde

Rotary instala placa no CIS e reafirma o programa de prevenção à síndrome de alcóolico fetal

Programa conscientiza sobre o não consumo de bebidas alcoólicas por grávidas.

Por: Da Redação atualizado: 20 de abril de 2021 | 18h03
Representantes do Rotary e autoridades, na última sexta-feira no CIS (Divulgação/Rotary Club). Representantes do Rotary e autoridades, na última sexta-feira no CIS (Divulgação/Rotary Club).

Na última sexta-feira (16) o Rotary Club de Adamantina instalou uma placa no CIS (Centro Integrado de Saúde), com alerta de prevenção à Síndrome Alcoólica Fetal (SAF), que pode trazer graves riscos à formação dos bebês durante a gestação, naquelas grávidas que consumam bebidas alcoólicas.

A instalação da placa se dá durante o “Mês da Saúde Materno-Infantil” no calendário rotário, onde a instituição reafirma seu compromisso com o bem-estar de mães e filhos no mundo inteiro.

Nesse tema, uma das bandeiras do Rotary Club local é a campanha de prevenção à SAF, lançada em 2014 (relembre). Assim, a instalação a placa na última sexta-feira, no CIS, reafirma o compromisso dos rotarianos de Adamantina com a campanha e sensibilização.

Um dos entusiastas da mobilização local é o médico e rotariano Joamyr Castro, que dirige o programa na instituição. Ele, acompanhado da presidência do Rotary Club adamantinense e da Casa da Amizade, rotarianos e autoridades locais, participaram da instalação da placa.

Estiveram presentes ainda a vice prefeita Dinha Santos Gil, o secretário municipal de saúde Gustavo Taniguchi Rufino, os vereadores Riquinha, Cid Santos e Aguinaldo Galvão, o médico João Eduardo Barbosa Pacheco, a enfermeira Sônia Maria Fratini (apoiadora do projeto) e a enfermeira e responsável técnica do CIS, Rosemary Idalgue Mantovani Santos.

(Divulgação/Rotary Club).

De acordo com o presidente do Rotary Club, Francisco Lupo, o objetivo principal da campanha é conscientizar a população sobre a importância de evitar a ingestão de álcool pela mãe durante a gestação. A ação preventiva é destacada pelo coordenador da campanha, o médico Joamyr Castro. "A única prevenção possível é a abstinência da ingestão de álcool durante o período de pré-concepção, de quatro a seis semanas antes da gravidez, e durante o período gestacional quando o sistema nervoso fetal está em formação", explica. 

(Divulgação/Rotary Club).

A campanha do SAF, coordenada no Rotary Club de Adamantina pelo médico e rotariano Joamyr Castro e foi lançada oficialmente pelo Rotary Club  em Adamantina no dia 9 de setembro de 2014, com a presença de lideranças locais e vários médicos, em evento realizado no anfiteatro da Biblioteca Municipal Cônego João Batista de Aquino, durante o Ano Rotário 2014/2015.

(Divulgação/Rotary Club).

As ações de prevenção são realizadas nos postos de saúde por meio de orientações de médicos e enfermeiros. Outras ações também serão realizadas como fixação de banners nas unidades básicas de saúde.

Adamantina tem ainda uma lei municipal que trata do assunto, de iniciativa da então vereadora Dinha Santos Gil, atual vice-prefeita, aprovada pela Câmara Municipal, que passou a proibir na cidade a venda de bebidas alcoólicas às gestantes ou mulheres em período de amamentação. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Supermercado Godoy
Clínica Savi

Publicidade

Daiane Mazarin Estética
Rede Sete Supermercado
JVR Segurança

Saiba mais sobre a SAF

No que diz respeito ao consumo de álcool durante a gravidez, ainda há quem diga que beber só um pouquinho não faz mal. Porém, essa afirmação é equivocada.

O alerta é da organização não-governamental Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (CISA). Segundo a ONG, o álcool atravessa a placenta, atingindo a corrente sanguínea fetal. Entretanto, o organismo do feto – ainda em formação – não consegue metabolizar essa substância, que permanece no seu sangue por tempo prolongado, até que seja eliminada pela circulação materna. Como consequência, pode haver prejuízo ao desenvolvimento do feto, causando desde disfunções menos severas, até desdobramentos mais graves.

A SAF é o transtorno mais grave do espectro de desordens fetais alcoólicas (fetal alcohol spectrum disorders – FASD) e constitui um complexo quadro clínico de manifestações diversas que podem ocorrer em quem cuja mãe consumiu bebida alcoólica durante a gestação. Os efeitos decorrem da interferência na formação cerebral, em especial na proliferação normal e migração dos neurônios que não se desenvolvem completamente em certas estruturas e podem acarretar alterações congênitas, anomalias do sistema nervoso central, retardo no crescimento e prejuízos no desenvolvimento cognitivo e comportamental.

Publicidade

Nativa FM Adamantina
93 FM Adamantina
Insta do Siga Mais
Radio Brasil FM

Publicidade

Cinema