Saúde

Professora da UniFAI apresenta Rede Promover Vida em Congresso Brasileiro de Psicanálise

XII Congresso Brasileiro de Psicanálise das Configurações Vinculares foi realizado em Serra Negra.

Por: Priscila Caldeira | Colaborou: Profª Me. Ana Vitória Salimon atualizado: 25 de junho de 2019 | 17h14
Professora Ana Vitória e o graduando Leonardo apresentaram o trabalho sobre a construção e funcionamento da Rede Promover Vida, que atua na promoção de saúde, prevenção do suicídio e outras violências (Imagem: Acervo Pessoal). Professora Ana Vitória e o graduando Leonardo apresentaram o trabalho sobre a construção e funcionamento da Rede Promover Vida, que atua na promoção de saúde, prevenção do suicídio e outras violências (Imagem: Acervo Pessoal).

A docente e responsável técnica pelo Núcleo de Psicologia do Centro Universitário de Adamantina (UniFAI), Profª Me. Ana Vitória Salimon-Santos, e o aluno de Psicologia Leonardo Ribeiro Elias participaram, de 23 a 26 de maio, do XII Congresso Brasileiro de Psicanálise das Configurações Vinculares, X Encontro Paulista de Saúde Mental e XIV Jornada da Sociedade Psicoterapias Analíticas Grupais do Estado São Paulo (SPAGESP).

O tema central do evento, realizado em Serra Negra, foi “Vínculos em tempos de desamparo: possibilidades de trabalho psicanalítico com grupos, famílias, casais e instituições”.

A professora Ana Vitória apresentou o trabalho “Encontros da Rede Promover Vida e as potências mobilizadas pelos vínculos nos múltiplos desamparos no cotidiano social”, em coautoria com o Prof. Dr. Lazslo Antonio Ávila da Faculdade de Medicina de Rio Preto, na mesa redonda intitulada “Vínculos em tempos de desamparo e desesperança”.

O trabalho abordou a construção e funcionamento da Rede Promover Vida, a qual atua na promoção de saúde, prevenção do suicídio e outras violências, iniciada embrionariamente em 2007 a partir de estágio de Psicologia da UniFAI, em parceria com a Secretaria de Saúde e a Santa Casa de Adamantina.

 “Atualmente a rede funciona por meio de parcerias entre o Núcleo de Psicologia, cursos da UniFAI, secretarias municipais de Saúde, Assistência Social e Educação, Santa Casa de Adamantina, Corpo de Bombeiros, Conselho Tutelar, Diretoria Regional de Ensino, Centro de Qualidade de Vida e Saúde do Servidor (CQVIDASS) da Coordenadoria da Região Oeste da Secretaria da Administração Penitenciária, Posto CVV de Adamantina, entre outros”, relata a professora.

De acordo com Ana Vitória, o enfoque foi a potência para reflexões e ações conjuntas que é criada por meio dos vínculos entre profissionais e órgãos, possibilitando construir serviços à população numa área “tão delicada” como as intervenções em comportamento suicida e que isoladamente talvez nem fosse possível.

A docente exaltou a qualidade do congresso que discutiu temáticas tão atuais com profissionais em nível de excelência “se colocando a socializar conhecimentos e práticas em prol de uma sociedade mais saudável”. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Tio Panda Adamantina
Supermercado Godoy
Clínica Savi
Monalisa Adamantina

Publicidade

Daiane Mazarin Estética
Haddad
Rede Sete Supermercado
JVR Segurança

Vida acadêmica ativa

O graduando Leonardo, também estagiário do Núcleo de Psicologia e atuante na Rede Promover Vida, teve a oportunidade de desempenhar a função de monitor no congresso. O estudante relata que quando viu a chamada para monitores, que seriam auxiliares das atividades em um período do dia e teriam isenção do pagamento do congresso, se inscreveu sem muita expectativa. Porém, foi um dos 16 monitores selecionados e pode não só participar de todas as atividades do congresso como conviver intensamente quatro dias com alunos de diversas instituições. Leonardo acredita que a experiência como monitor nos encontros e simpósios da Rede Promover Vida foi fator decisivo para obter essa oportunidade.

No congresso teve a oportunidade de conhecer e trocar experiências sobre diversos projetos e práticas. “Voltei muito satisfeito com as novas aprendizagens e com a confirmação da qualidade do curso de Psicologia da UniFAI, especialmente pelas práticas relevantes e muitas vezes inovadoras que realizamos através dos estágios”, conta.

Leonardo, que é formando, assegura que o contato com profissionais da área que atuam em diversos contextos e instituições “foi de grande contribuição para refletir e pesquisar novos conceitos e ideias”. Ele cita a importância de desde o início de sua formação procurar por oportunidades de aprendizagens fora da sala de aula, por meio de projetos de extensão, estágios não obrigatórios e eventos científicos.

Publicidade

Clinica Lu Applim
Cinema

Publicidade

Insta do Siga Mais