Saúde

Período chuvoso exige cuidados contra a proliferação do aedes aegypti

Prevenção à dengue, zika vírus, febre chikungunya e febre amarela deve ser permanente.

Por: Assessoria de Imprensa atualizado: 10 de janeiro de 2019 | 18h37
Recipientes que acumulam água são criadouros do mosquito aedes aegypti (Ilustração). Recipientes que acumulam água são criadouros do mosquito aedes aegypti (Ilustração).

A Prefeitura de Adamantina, por meio da Secretaria de Saúde, realizou diversos mutirões em bairros da cidade e desenvolveu um plano com o objetivo de colocar em prática ações de prevenção à infestação e dispersão do vetor das doenças dengue, zika vírus, febre chikungunya e febre amarela.

Agora, com a chegada do verão, o índice de chuvas aumenta e, com isso, a população precisa estar atenta e redobrar os cuidados, pois cresce a preocupação com a reprodução do mosquito Aedes aegypti.

Francine de Brito Alves, chefe do Controle de Vetores, explica que a ação mais simples para prevenir a dengue e as demais doenças é impedir que o mosquito nasça e, para isso, as pessoas precisam eliminar os criadouros.

 “Nós precisamos contar com o apoio de todos, pois o risco de proliferação é grande dada à circulação de pessoas que não são moradoras da cidade, pois isso faz com que o risco de transmissão de arboviroses aumente”, explica.

O Índice de Desenvolvimento Larvário (ADL) realizado em outubro apontou que o Índice Breteau (IB), valor numérico que define a quantidade de insetos em fase de desenvolvimento, de 3,83 e o Índice Predial, porcentagem de imóveis com a presença de Aedes aegypti, com resultado igual a 3. 

Esses números colocam o município em situação de alerta em relação à infestação e dispersão do vetor das doenças dengue, zika vírus, febre chikungunya e febre amarela e uma nova Avaliação de Densidade Larvária será realizada neste mês. (Continua...) 

Publicidade

SuperGodoy
monalisa interno

Publicidade

Haddad
JVR INTERNO
   

A dica para evitar o problema é manter os recipientes como tanques, cisternas, tambores, caixas d’água sempre fechados. Locais onde a água possa acumular devem ser tampados ou eliminados por meio da coleta seletiva.

Francine ainda orienta que as pessoas não joguem o lixo em áreas públicas. "É preciso observar semanalmente os ralos e percebendo o acúmulo de água, com a mesma frequência despejar produtos que inibam o desenvolvimento das larvas, tais como cloro, detergente, salmoura e água com sabão", explica.

O Aedes aegypti é um mosquito com hábitos diurnos, as fêmeas são as que procuram água parada e livre de produtos químicos para depositarem seus ovos e nunca depositam todos no mesmo lugar, pois o que querem é perpetuar a espécie.

Elas gostam de ficar em ambientes escuros, atrás de cortinas, embaixo de camas e sofás, sempre próximos aos seres humanos, sua fonte de alimentação, pois precisam do sangue humano para fazer a maturação dos ovos e após esse preparo, elas colocam nos recipientes que encontrarem pelo domicílio.

"Nesse período de chuvas e muito calor, a Secretaria de Saúde pede que os cuidados com os quintais sejam redobrados e que os objetos que acumulem água sejam evitados. Receba a visita dos agentes de saúde, permita que eles vistoriem o seu quintal. A dengue é uma doença que pode matar", finaliza.

Publicidade

Clinica Lu Applim

Publicidade

Youtube