Saúde

Confirmado primeiro caso de Sarampo em Dracena; há 4 casos suspeitos em Osvaldo Cruz

Em SP são quase 3 mil casos e quatro mores. Dracena e Osvaldo Cruz realizam bloqueio vacinal.

Por: Da Redação atualizado: 5 de setembro de 2019 | 14h24
Estado de São Paulo segue vacinando contra sarampo bebês com idade entre 6 meses a menores de 12 meses, conforme recomendado pelo Ministério da Saúde Marcelo (Foto: Camargo/Agência Brasil). Estado de São Paulo segue vacinando contra sarampo bebês com idade entre 6 meses a menores de 12 meses, conforme recomendado pelo Ministério da Saúde Marcelo (Foto: Camargo/Agência Brasil).

Nesta quarta-feira (4) foi confirmado o primeiro caso positivo para Sarampo em Dracena. Uma criança de cinco anos de idade apontou positivo no exame de SWAB. A informação foi divulgada pela Diretoria de Comunicação da Prefeitura.

Segundo a nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Dracena tomou todas as medidas previstas no protocolo da Divisão de Imunização do Centro de Vigilância Epidemiológica da Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde do Estado de São Paulo.

Dentre as medidas informadas na nota estão o bloqueio de contato íntimo (vacinação dos familiares), varredura nos alunos da escola e projeto que a criança frequenta – com análise e checagem da caderneta e vacinação de quem fosse necessário – e varredura ampliada para 800 metros a partir da residência da criança.

A nota da Prefeitura de Dracena informa também que a Secretaria Municipal de Saúde  colocará uma força-tarefa de dez agentes de controle de endemias nas ruas, que irão trabalhar no perímetro estabelecido do protocolo, analisando as cadernetas de vacinação de todos os moradores dentro deste raio. A visita será feita quinta-feira (5) e sexta-feira (6), das 18h às 21h e no sábado das 8h às 12h. Junto aos agentes, duas equipes irão fazer a vacinação na hora que identificada a necessidade, no próprio domicílio.

Hoje (04), uma equipe foi buscar uma grade adicional de vacina no GVE de Presidente Venceslau, e às 15h, as equipes passaram por treinamento específico para realização do trabalho de combate no perímetro estabelecido, que começará amanhã, quinta-feira.

Osvaldo Cruz: três casos suspeitos

A Vigilância Epidemiológica de Osvaldo Cruz informou nesta terça-feira (3) para a reportagem do Portal Metrópole de Notícias que a cidade tem quatro casos suspeitos de sarampo: três crianças e um adolescente de 15 anos.

Segundo a enfermeira responsável pela Vigilância Epidemiológica de Osvaldo Cruz, Camila Silva, quando aparecem casos suspeitos de sarampo na cidade, a VEP realiza o bloqueio vacinal para tentar evitar uma epidemia. “Além de vacinar as crianças na faixa etária prioritária, e adultos que estejam com a vacinação atrasada, quando aparece algum caso suspeito da doença nós realizamos o bloqueio vacinal, que consiste em vacinar todas as pessoas que tiveram ou tem contato com aquele caso suspeito em até 72 horas. Neste caso, não há necessidade de revacinação das pessoas que já foram vacinadas anteriormente e que tem comprovação vacinal”, explicou ao Portal Metrópole de Notícias. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Clínica Savi
Tio Panda Adamantina
Supermercado Godoy

Publicidade

JVR Segurança
Haddad
Daiane Mazarin Estética
Rede Sete Supermercado

Ministério confirma 2.753 casos de sarampo, 98% em São Paulo

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (4) que, de 9 de junho até 31 de agosto, 2.753 casos de sarampo foram confirmados no país. No período – segundo a Agência Brasil –, houve quatro óbitos, em decorrência da complicação do quadro de saúde dos pacientes, três em São Paulo e um em Pernambuco. 

Conforme destacou o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, três dos mortos tinham menos de 1 ano de idade.

Com relação ao boletim divulgado na quarta-feira (28), houve aumento de 18% no número de pessoas infectadas. Segundo o Ministério da Saúde, o número se deve à confirmação clínica de casos que estavam em investigação.

Segundo informa a Agência Brasil, a pasta recebeu, ao todo, a notificação de 20.292 suspeitas da doença, das quais 2.109 foram descartadas. O restante ainda está sob investigação. Os casos confirmados estão concentrados em 13 estados, sendo a maioria, 98,37%, no estado de São Paulo (2.708), seguido do Rio Janeiro (15), Pernambuco (12), Distrito Federal (3), Goiás (1), Paraná (1), Maranhão (1), Rio Grande do Norte (1), Espírito Santo (1), Bahia (1), Sergipe (1), Santa Catarina (7) e Piauí (1). 

SP mantém vacinação de bebês

Já o Governo de SP, em seu portal oficial, publicou nesta quarta-feira dados atualizados de casos a maior em relação aos números anunciados pelo Ministério da Saúde, de 2.753 casos de sarampo  no país, dos quais 2.708 são no Estado de São Paulo. Segundo o Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) paulista, que realiza monitoramento contínuo da circulação do vírus, neste ano, até o momento, há 2.982 casos confirmados no Estado.

Destes 2.982 casos, segundo CVE, 63% se concentram na capital, com 1.883 casos. Na última semana, foram confirmados três óbitos decorrentes da doença. As vítimas foram um homem de 42 anos, da capital sem histórico de imunização contra a doença, e dois bebês – uma menina de 4 meses, de Osasco; e um garoto de 9 meses, também da cidade de São Paulo.

De acordo com o portal oficial do governo paulista, o Estado de São Paulo segue vacinando contra sarampo bebês com idade entre 6 meses a menores de 12 meses, conforme recomendado pelo Ministério da Saúde. A faixa etária é considerada mais vulnerável a casos graves e óbitos, e representa cerca de 13% do total de casos registrados em no Estado.

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, rubéola e caxumba. A aplicação da chamada “dose zero” visa proteger as crianças e não será contabilizada no calendário nacional de vacinação da criança, ou seja, os pais ou responsáveis também deverão levar as crianças aos postos para receber a tríplice viral aos 12 meses e também aos 15 meses para aplicação do reforço com a tetraviral, que protege também contra varicela.

Os municípios devem ainda seguir realizando ações de bloqueio diante da notificação de casos da doença. Além disso, as pessoas que tiverem dúvidas quanto à imunização adequada devem procurar um posto de vacinação, com a carteira vacinal em mãos, para que um profissional de saúde verifique a necessidade de aplicação da dose, que será administrada de forma “seletiva”, ou seja, apenas em quem tiver alguma pendência.

O Programa Estadual de Imunização prevê que crianças e adultos, com idade entre um ano a 29 anos, devem ter duas doses da vacina contra o sarampo. Acima desta faixa, até 59 anos, é preciso ter uma dose. Não há indicação para pessoas com mais de 60 anos, pois esse público potencialmente teve contato com o vírus, no passado.

A recomendação para as mães de crianças com idade inferior a 6 meses é evitar exposição a aglomerações, manter higienização adequada, ventilação adequada de ambientes, e sobretudo que procurem imediatamente um serviço de saúde diante de qualquer sintoma da doença, como manchas vermelhas pelo corpo, febre, coriza, conjuntivite, manchas brancas na mucosa bucal. Somente um profissional de saúde poderá avaliar e dar as recomendações necessárias.

Publicidade

Iogurtes Carolina

Publicidade

Auto Doc

Publicidade

Clinica Lu Applim
Cinema

Publicidade

Insta do Siga Mais