Polícia

Policial Militar que salvou bebê em Marília já atuou no policiamento em Adamantina

Cabo Renato Taroco atuou em Adamantina no período de 2009 a 2013.

Por: Da Redação atualizado: 18 de abril de 2019 | 08h53
Cabos Renato Taroco e Robson Thiago de Souza com os pais do pequeno Henrique, após o salvamento do bebê de apenas 21 dias (Foto: Cedida/PM). Cabos Renato Taroco e Robson Thiago de Souza com os pais do pequeno Henrique, após o salvamento do bebê de apenas 21 dias (Foto: Cedida/PM).

O cabo da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Renato Taroco, que nesta segunda-feira (15) atuou na manobra de ressuscitação e salvou a vida do bebê de 21 dias, em Marília, já trabalhou no policiamento junto à 2ª Companhia do 25º Batalhão da Polícia Militar, em Adamantina, no período de 2009 a 2013.

Em Marília, nesta semana, sua participação com a manobra de ressuscitação que salvou a vida da criança ganhou repercussão nacional. Segundo publicou o site da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP), na última segunda-feira, por volta de 20 horas, os pais do bebê chegaram ao quartel desesperados, chorando e com o filho no colo, e pediram ajuda, já que a criança estava engasgada.

Para dar vida nova ao pequeno Henrique, o cabo Renato Taroco e seu colega de farda, cabo Robson Thiago de Souza, que estavam em serviço, rapidamente se mobilizara e utilizaram técnicas ensinada pela Polícia Militar, anualmente, e também no período de formação dos profissionais.

Entre elas, está a manobra de Heimlich, para desobstrução de vias aéreas. “A criança chegou desacordada, roxa e sem batimento cardíaco”, relembra Taroco. “Tivemos que realizar a manobra três vezes e apenas na terceira tentativa conseguimos reanimá-lo”, completa. Assista:

É a segunda vez que o Taroco salva uma recém-nascido, mesmo assim, emocionado ele conta o que sentiu ao ver que Henrique estava bem. “É uma sensação maravilhosa. Quando senti seu coração batendo em minha mão, chorei”.

Após ser salvo pelos dois policiais, o bebê foi encaminhado a um hospital para atendimento médico e passa bem. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Clínica Savi
Monalisa Adamantina
Supermercado Godoy

Publicidade

JVR Segurança
Daiane Mazarin Estética
Haddad
Rede Sete Supermercado

Heroísmo e reconhecimento

Em 2017 o cabo Renato Taroco foi homenageado no Batalhão da Rota em São Paul, na “Solenidade ao Herói da Polícia Militar do Estado de São Paulo”, em razão de suas ações em abril de 2015, quando tentou salvar a vida de outros dois militares e um civil, na Rodovia Manilio Gobbi (SP-284), no entorno da cidade de Paraguaçu Paulista.

 Cabo Renato Taroco (à esquerda), sendo homenageado pela PM, no Batalhão da Rota, em São Paulo (Foto: Divulgação).

Segundo publicou o site Marília Notícia, em 20 de abril de 2015 o então soldado Taroco, juntamente com outras viaturas, perseguiam um homem que havia acabado de praticar tentativa de homicídio no município de Echaporã e fugia sentido à cidade de Paraguaçu Paulista.

Uma das viaturas, onde estavam dois cabos da PM, se envolveu em um acidente de trânsito com o carro do acusado que, propositalmente, e com intuito de se matar, jogou o veículo que vinha no sentido contrário, a quase 200 km/h, contra o veículo da PM.

Com o choque, os policiais foram arremessados para fora da viatura, que por sua vez caiu por cima das vítimas. Tanto a viatura quanto o veículo do acusado começaram a pegar fogo.

“Ao se aproximar do cenário, o soldado PM Taroco ouviu gemidos que vinham de baixo da viatura, onde localizou os dois policiais, decidindo juntamente com outros dois policias que estavam no apoio, levantar a viatura para retirá-los e prestar os primeiros socorros. Foi neste momento que, devido ao intenso esforço físico impelido na ação, o soldado PM Taroco foi acometido de diversas lesões na parte direita do corpo, abrangendo braço, coluna, coxa, panturrilha e tornozelo, numa circunstância de alto risco e gravidade”, disse a PM.

Tanto os policiais quanto o autor, que estava preso nas ferragens, foram retirados e socorridos. Infelizmente o policial militar cabo Gomes, bem como o suspeito, morreram no dia seguinte.

Devido sua ação no dia da ocorrência, Taroco acabou comprometendo seriamente sua saúde física. Ele teve declarada invalidez parcial permanente devido ao acidente e desde então foi designado para serviços administrativos.

Depois, em 2018, pelo mesmo caso, Taroco tornou-se vencedor de um prêmio nacional conhecido como “Heróis Reais”. Ele venceu uma disputa nacional por meio de votação popular, conquistando cerca de 1,3 milhão de votos, e ganhou uma viagem aos Estados Unidos para conhecer a SWAT.

No Texas (EUA), Taroco deu entrevista à imprensa americana (Foto: Acervo Pessoal).

Segundo o G1, em Beaumont, no Texas (EUA), Taroco foi o primeiro policial brasileiro a receber um “certificado de reconhecimento” assinado pelo tenente Kelly Cole, comandante da SWAT.

Além do certificado – continua o G1 – Taroco também ganhou um curso de treinamento de táticas policiais ministrado por oficiais da SWAT, a unidade de elite de polícia dos EUA altamente especializada e treinada para operações de alta complexidade.

Publicidade

Cinema
Clinica Lu Applim

Publicidade

Insta do Siga Mais