Polícia

Polícia Civil deflagra a Operação Welfare e cumpre 100 mandados de prisão, busca e apreensão

Operação cumpre 38 mandados de prisão, 46 de buscas e apreensão e 16 buscas em presídios.

Por: Deinter 8 atualizado: 4 de julho de 2019 | 11h38
Polícia Civil realiza ampla operação para combater a atuação de organização criminosa (Imagem: Ilustração). Polícia Civil realiza ampla operação para combater a atuação de organização criminosa (Imagem: Ilustração).

Na manhã desta quarta-feira (03), a Polícia Civil do Estado de São Paulo, por intermédio do Deinter-8, com apoio de policiais civis de várias regiões e de equipes do GIR/SAP-Secretaria de Administração Penitenciária, deflagrou a Ação de Polícia Judiciária denominada Operação Welfare (em português “bem-estar”).

A operação da Policia Civil de Presidente Prudente conta com apoio do Ministério Público e agentes penitenciários. Estão sendo cumpridos 38 mandados de prisão temporária, 46 mandados de busca e apreensão, 16 buscas administrativas pelo GIR (Grupo de Intervenção Rápida) da Secretaria de Administração Penitenciária, em unidades prisionais, além do bloqueio/sequestro bancário relacionado a 38 CPFs envolvidos. Até a finalização a Polícia Civil de São Paulo expedirá parciais.

Durante o período de 6 meses, os policiais descobriram uma célula dentro da organização criminosa, que através de rendimentos aferidos principalmente com o tráfico de drogas, cooptava novos integrantes para a facção com ofertas de fretamento de ônibus para familiares de presos, pagamento de despesas como alugueres, tratamentos de saúde, etc., de integrantes do partido que, em contrapartida, cediam suas contas bancárias, para a lavagem de capitais. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Tio Panda Adamantina
Monalisa Adamantina
Clínica Savi
Supermercado Godoy

Publicidade

JVR Segurança
Haddad
Rede Sete Supermercado
Daiane Mazarin Estética

Essa célula denominada “Sintonia de Ajuda”, foi organizada com atribuições específicas. Alguns detentos são responsáveis pela contabilidade e autorização da ajuda solicitada; esposas/companheiras de presos e outros familiares emprestam suas contas bancárias; integrantes da facção que estão fora dos presídios, ficavam responsáveis pelo recolhimento dos valores juntamente com os titulares das contas bancárias. Os cartões ficavam na posse dos organizadores da sintonia e quando o saque excedia o limite permitido pelo autoatendimento, o titular da conta realizava o saque direto no caixa, na companhia do “recolha” (responsável pelo transporte).

A ação policial desencadeada nesta data teve por objetivo, também apreender documentação relacionada às contas bancárias já apuradas e que são utilizadas para a lavagem de capitais, bem como verificar a existência de outras pessoas envolvidas na conduta criminosa.

Trata-se da prática dos crimes previstos na Lei 12.850/13 (Organização Criminosa), Lei 9.613/98 (Lavagem de Capitais) e Lei 11.343/06 (Tráfico de Drogas).

Publicidade

Iogurtes Carolina

Publicidade

Auto Doc

Publicidade

Clinica Lu Applim
Cinema

Publicidade

Insta do Siga Mais