Polícia

PF faz buscas em Adamantina; bolivianos estariam trabalhando em condição análoga à de escravo

Segundo a Polícia Federal, bolivianos estariam trabalhando na confecção de roupas.

Por: Da Redação atualizado: 1 de agosto de 2021 | 12h15
(Arquivo/Agência Brasil). (Arquivo/Agência Brasil).

A Polícia Federal, com apoio da Delegacia Seccional de Polícia Civil de Adamantina e da Gerência Regional do Trabalho e Emprego em Presidente Prudente, cumpriu nesta quinta-feira (29) mandado de busca e apreensão em Adamantina, com objetivo de instruir inquérito policial que investiga denúncia de que um empresário estaria se utilizando de serviços prestados por pessoas de nacionalidade boliviana para a confecção de roupas.

De acordo com a nota à imprensa divulgada pela PF, esses trabalhadores estrangeiros estariam sendo mantidos em uma residência em condição análoga à de escravo. A ação recebeu o nome de “Operação Eratos”. Os nomes da empresa e dos envolvidos não foram divulgados.

Publicidade

Clínica Savi
Supermercado Godoy

Publicidade

JVR Segurança
Rede Sete Supermercado
Daiane Mazarin Estética

Ao longo das buscas, de acordo com a PF, foram apreendidos documentos diversos e celulares, assim como realizadas diligências pelo auditores-fiscais para instrução de procedimento fiscalizatório instaurado na seara administrativa.

Paralelamente, a Unidade de Polícia de Imigração da PF realizou a verificação da situação migratória dos moradores do local, procedendo com a notificação daqueles que se encontravam em situação irregular.

De acordo com a PF, participaram do cumprimento do mandado quatro policiais federais, quatro policiais civis e dois auditores-fiscais do trabalho.

O nome da operação faz alusão a parte do nome de um dos auditores assassinados em Unaí/MG, Eratóstenes de Almeida Gonsalves, quando investigavam denúncias de trabalho escravo.

Publicidade

Tio Panda Adamantina

Publicidade

Insta do Siga Mais