Polícia

Ex-prefeito de Pacaembu, Maciel Colpas, é preso

Acusações são de crimes de corrupção, peculato e organização criminosa.

Por: Da Redação atualizado: 22 de fevereiro de 2021 | 11h51
Maciel Colpas foi preso preventivamente (Foto: Folha Regional/Arquivo). Maciel Colpas foi preso preventivamente (Foto: Folha Regional/Arquivo).

O ex-prefeito de Pacaembu, Maciel Colpas, foi preso neste sábado (20) pela Polícia Civil, após cumprimento de mandado de prisão preventiva expedido pelo Poder Judiciário, acusado por crimes de corrupção, peculato e organização criminosa.

A prisão do ex-prefeito se deu na segunda fase da “Operação Atoleiro”, deflagrada pela Polícia Civil e o Ministério Público do Estado de São Paulo, estruturada por uma força-tarefa entre com promotores do Ministério Público, agentes do Tribunal de Contas do Estado e a Polícia Civil, sediada na Delegacia Seccional de Adamantina. A investigação visou apurar delitos (fraudes) envolvendo licitações no âmbito do poder público, peculato e organização criminosa.

Delegacia Seccional da Polícia Civil, em Adamantina (Cedida/Deinter8).

De acordo com nota à imprensa expedida na manhã deste sábado pelo Deinter-8, foram expedidos cinco medidas cautelares pelo Poder Judiciário, fruto de representação do Ministério Público Estadual, sendo quatro mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva, cumpridos em locais do município de Pacaembu.  (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Clínica Savi
Supermercado Godoy

Publicidade

Rede Sete Supermercado
JVR Segurança
Daiane Mazarin Estética

Preso por força de mandado de prisão preventiva, o ex-prefeito foi encontrado em sua residência, estando agora sob custódia, junto à Polícia Civil de Adamantina, e deverá ser encaminhado para a cadeia pública de Presidente Venceslau, onde ficará à disposição da Justiça.

Já os mandados de busca foram executados em locais estratégicos, sendo apreendidos diversos documentos de interesse processual penal.

Na ação, segundo o Deinter-8, participaram onze policiais civis, dos quais três delegados de polícia, e ainda três promotores de justiça.

Publicidade

Tio Panda Adamantina

Publicidade

Insta do Siga Mais
Cinema