Polícia

Capitão PM Júlio Romagnoli é promovido ao posto de major da Polícia Militar

Com 26 anos de atuação na Polícia Militar, Júlio Romagnoli é promovido a major.

Por: Da Redação atualizado: 22 de maio de 2020 | 19h12
Promovido por merecimento, Júlio Marcelo Romagnoli é promovido a major pela Polícia Militar do Estado de São Paulo (Arquivo/Siga Mais). Promovido por merecimento, Júlio Marcelo Romagnoli é promovido a major pela Polícia Militar do Estado de São Paulo (Arquivo/Siga Mais).

O capitão PM Júlio Marcelo Romagnoli, subcomandante do 25º BPM/I (Batalhão da Polícia Militar do Interior), foi promovido a major e alcança nova posição na hierarquia da Polícia Militar do Estado de São Paulo. A promoção, por merecimento, foi publicada no Diário Oficial em sua edição desta terça-feira (19).

Com uma história de 26 anos nos quadros da Polícia Militar paulista, há duas décadas ele integra o efetivo do 25º BPM/I, sediado em Dracena. “Tive a honra de em todas as promoções em ser promovido por merecimento, o que acabou por coroar a expectativa de ter realizado o meu melhor durante os 26 anos e meio de serviços prestados a sociedade”, destaca major Júlio.

Júlio Romagnoli com as mulher Francy e os filhos Pedro e Junior (Acervo Pessoal).

Ao alcançar a nova patente, major Júlio faz seus agradecimentos. “Meu agradecimento a esta promoção, em primeiro lugar, a Deus, Grande Arquiteto do Universo, que me trouxe luz em meio a decisões importantes durante a minha carreira. Agradeço também a minha família, Francy, Júnior e Pedro, que sempre me acompanhou e me apoiou em todos os momentos. Agradeço aos meus antigos e atuais comandantes pelos ensinamentos e aos meus amigos civis e militares com quem as experiências compartilhei".

Trajetória profissional

Em 1994 Júlio Romagnoli, ingressou na Academia de Polícia Militar do Barro Branco, estabelecimento de ensino superior localizado na capital paulista, destinado a formar e aperfeiçoar os oficiais da PMESP, onde obteve a graduação de “Bacharel em Ciências Policiais, Segurança e Ordem Pública”, tornando-se aspirante a oficial em 1997.

Ao deixar a Academia do Barro Branco, seu primeiro desafio profissional se deu junto ao 4º Batalhão da Polícia Militar Metropolitano (4º BPM/M), na Grande São Paulo, com a patente de tenente.

Em 2001 voltou a residir em Adamantina e comandou as ações da Polícia Militar em cidades como Lucélia e Tupi Paulista, dentro da área do 25º BPM/I, sediado em Dracena. 

Em 2006 atuou com destaque no comando do recém-criado Pelotão de Choque, uma força especial para fazer frente a demandas de rebeliões e motins, sobretudo diante da grande concentração de penitenciárias na área do 25º Batalhão. Atuou também na Força Tática, agrupamento especial para atuações em situações extraordinárias, que demandem apoio complementar. 

No ano seguinte, em 2007, assumiu interinamente o comando da 2ª Cia do 25º BPM/I, de Adamantina, sendo submetido ao desafio de reverter o cenário de insegurança vivido na cidade. Essa fase foi marcada por diversas operações ostensivas, prisões e, sobretudo, o policiamento preventivo, mediante uma maior inserção da Polícia Militar junto à comunidade local. Essa dinâmica profissional tem se mantido continuamente, até os dias atuais, contribuindo para um cenário de maior segurança entre a população, conforme atestar diversos indicadores oficiais.

Major Júlio Marcelo Romagnoli, 26 anos nos quadros da Polícia Militar (Reprodução).

Já em 2012, Júlio Romagnoli foi promovido a capitão, efetivando-se no comando da 2ª Cia PM de Adamantina, que tem atuação na microrregião. 

Nessa nova condição profissional e diante dos resultados até então alcançados no campo da segurança pública, se pôs motivado a liderar um trabalho de diálogo com as demais instituições da área governamental municipal e estadual, que permitiu viabilizar a construção da sede própria da 2ª Cia PM. A área foi doada pelo Município de Adamantina e a obra executada com recursos do Governo do Estado de São Paulo.

Em 2014, um marco de destaque na carreira profissional foi posicionar a 2ª Cia PM de Adamantina com o menor índice de criminalidade entre as demais regiões do Estado de São Paulo, e a sexta-posição no cenário nacional. 

No ano de 2018 ocupou interinamente a função de Coordenador Operacional do 25º BPM/I, de Dracena, depois assumindo a função de subcomandante, onde está até hoje. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Clínica Savi
Supermercado Godoy
Siga Comunicação

Publicidade

Daiane Mazarin Estética
JVR Segurança
Dra Maria Gabriela Tiveron
Rede Sete Supermercado

Vizinhança Solidária, Numec e formação continuada

Dentro do trabalho preventivo e buscando o engajamento comunitário, há uma iniciativa especial executada sob a liderança do agora major Júlio. Junto à comunidade adamantinense, sobretudo às comunidades de bairro organizadas, implantou o Programa Vizinhança Solidária. A iniciativa pactua um protocolo de condutas a serem seguidas pelos moradores, na observação diária e colaborativa da região onde residem, com orientações e participação da Polícia Militar. A experiência foi implantada primeiramente no Parque Universitário, sendo possível zerar os índices de furtos que eram comuns na localidade. Depois alcançou outros bairros, como Estância Dorigo e o San Miguel I.  

No campo da formação profissional, se orienta por uma busca permanente e continuada, que por sua vez repercute na melhor prestação de serviços públicos à comunidade. Além da graduação pela Academia Barro Branco, Júlio Romagnoli fez uma segunda graduação, desta vez em direito, pela Faculdade EDUVALE (Avaré), tendo obtido também a aprovação no Exame de Ordem, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). 

Cursou ainda três pós-graduações, sendo uma especialização em Direito Penal pela UNIP, a segunda em Direito Administrativo pela Universidade Anhanguera, e a terceira foi o mestrado em Ciências Policiais, Segurança e Ordem Pública, pela Academia do Barro Branco.

Desembargador do TJ/SP José Carlos Pereira Alves, juízes da comarca de Adamantina Ruth Duarte e Fábio Sola e o então capitão PM (hoje major) Júlio Marcelo Romagnoli, na inauguração do Numec em Adamantina (Arquivo: Siga Mais). 

Ampliando sua formação profissional, participou de curso de formação em Mediação/Conciliação Judicial, conforme Resolução 125 do Conselho Nacional de Justiça, nos anos de 2017/2018, visando a implantação de Núcleos de Mediação Comunitária (Numec), que se deram, com sucesso, em 2019, sendo instalados em Adamantina e depois em Dracena.

Cidadão Adamantinense

Nascido em Osvaldo Cruz, em 1974, Júlio Romagnoli está em Adamantina desde sua infância, chegando à cidade em 1983, quando seus pais mudaram-se em razão das obrigações profissionais. Só deixou a cidade quando ingressou na Academia de Polícia Militar do Barro Branco, em 1994.

No final de 2018, considerando sua trajetória profissional e os trabalhos comunitários, foi homenageado pela Câmara Municipal de Adamantina, com o título de “Cidadão Adamantinense”, a mais alta honraria do poder legislativo local a não nascidos na cidade. A autoria do título é dos vereadores Acácio Rocha, Eder Ruete e Eduardo Fiorillo, ainda a ser formalmente entregue ao homenageado.

Publicidade

Cinema
Clinica Lu Applim

Publicidade

Insta do Siga Mais