Polícia

Acusada de matar o marido em Tupi Paulista, mulher pesquisou na internet sobre como cortar a jugular

Crime foi em Tupi Paulista. Mulher foi presa acusada pelo assassinato do marido.

Por: Da Redação atualizado: 29 de setembro de 2022 | 13h54
Caixa com materiais apreendidos  pela Polícia Civil, como também o carro usado pela mulher (Divulgação/Polícia Civil). Caixa com materiais apreendidos pela Polícia Civil, como também o carro usado pela mulher (Divulgação/Polícia Civil).

A Polícia Civil, por intermédio do plantão policial permanente de Dracena e das unidades especializadas (Delegacia de Investigações Gerais - DIG e Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes - DISE), esclareceu ontem (27) o homicídio ocorrido na madrugada, em Tupi Paulista. A vítima era homem, de 59 anos, que foi encontrado no quarto de sua residência sob a cama, ensanguentado, com profundo corte no pescoço, além de outras lesões.

A princípio – conforme nota divulgada pela Polícia Civil – a ocorrência foi apresentada no plantão policial permanente de Dracena, como sendo de autoria desconhecida, visto que a suspeita presa - uma mulher de 59 anos – esposa da vítima, alegou que havia saído da residência, não sabendo precisar quando tempo demorou, e ao retornar encontrou o marido ensanguentado no quarto da casa, como divulgou ontem o SIGA MAIS. Foi descoberto depois que antes do crime ela pesqusou na internet sobre como eliminar uma pessoa cortando a jugular e batendo na cabeça (leia abaixo).

Em razão da complexidade da ocorrência apresenta, foi solicitado apoio aos agentes das unidades especializadas, que perceberam algumas contradições apresentadas pela mulher, que até então era considera testemunha do fato. Foram realizadas diligências no local do crime, e diante do indício de autoria, ela acabou confessando o crime.

(Divulgação/Polícia Civil).

Conforme a Polícia Civil, a acusada afirmou que usou uma marreta e uma faca para matar o marido. Ela esclareceu ainda – conforme a Polícia – que acomodou os objetos utilizados no crime numa caixa de papelão, que depois pegou seu veículo e se dirigiu até a Rodovia da Integração, dispensando tais peças a beira da pista, no sentido Andradina/Tupi Paulista.

Agentes das unidades especializadas estiveram no local indicado pela suspeita e apreenderam a caixa de papelão e um par de luvas com vestígios de sangue, já a marreta e faca não foram localizadas.

Diante de todos fatos, a mulher foi atuada em flagrante delito pelo crime de homicídio doloso duplamente qualificado, ou seja, modo cruel e a impossibilidade de defesa do ofendido. A Polícia Civil também representou na Justiça pela conversão da prisão em flagrante, em prisão preventiva. Foram aprendidos o automóvel usado pela mulher, um celular, um par de luvas, uma caixa de papelão e peças de vestimentas.  

O prazo para conclusão do inquérito policial é 10 dias, onde serão acrescidos os laudos periciais solicitados e o laudo necroscópico da vítima.

Publicidade

Daiane Mazarin Estética
Supermercado Godoy

Publicidade

Rede Sete Supermercado
JVR Segurança

Mulher pesquisou na internet como matar uma pessoa cortando a jugular

A Polícia Militar, que foi a primeira força de segurança pública a atender o caso e chegar ao local do crime, também divulgou nota sobre sua atuação, onde revela que a mulher usou seu celular para pesquisar na internet sobre como eliminar uma pessoa cortando a jugular e batendo na cabeça.

Conforme a nota do setor de comunicação social do 25º Batalhão da PM, o chamado ao 190 foi por volta de 1h50 da madrugada desta terça-feira, informando sobre homicídio de autoria desconhecida, na Rua Dom Pedro, em Tupi Paulista.

No local, em contato com a esposa da vítima, ela relatou aos policiais militares que seu esposo encontrava-se na cama desacordado e com manchas de sangue no rosto. A vítima estava deitada sobre a cama em decúbito lateral, com sangue e lesões na face e corte no pescoço, ocasionado por instrumento perfuro cortante.

Na residência, segundo a PM, encontrava-se o filho da vítima, a esposa e a neta do casal de oito anos. O filho do casal, ao ser questionado sobre o que havia acontecido, alegou que por volta das 21h, após jantar, foi dormir e seu pai foi tomar banho. Relatou ainda que não ouviu nada, pois estava dormindo. A esposa da vítima relatou a princípio que por volta de 1h da madrugada pegou o veículo do casal e foi até a farmácia para comprar remédios, deixando a porta da cozinha somente encostada e o portão da garagem aberto.

Disse ainda na versão inicial que ao retornar teria se deparado com o marido todo ensanguentado, tentou chamá-lo, porém não respondia, e logo após saiu novamente com o carro para pedir ajuda na residência de uma conhecida, momento em que a Polícia Militar foi acionada.

Em busca domiciliar, a arma do crime não foi localizada. Durante os trabalhos periciais, segundo a PM, foi constatado na vítima um profundo corte no pescoço lado esquerdo; pequeno corte na altura do olho esquerdo; dois grandes cortes na cabeça, do lado direito, altura da fonte; e um corte na testa. Após o termino da perícia no local do crime, o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

Diante dos fatos as partes foram encaminhadas pela PM ao plantão da Polícia Civil, onde foram constatadas as pesquisas no aparelho celular da mulher, sobre como matar uma pessoa, ficando a mesma presa, à disposição da Justiça.

Publicidade

Cóz Jeans
Nova Foto e Ótica
Tio Panda Adamantina

Publicidade

Insta do Siga Mais