Mariápolis

Prefeitura de Mariápolis esclarece sobre atendimento pediátrico e busca profissional para contratar

Atendimento em pediatria é assegurado pelo Município na saúde pública regional ou particular.

Por: Da Redação atualizado: 19 de janeiro de 2022 | 14h16
Prefeitura de Mariápolis esclarece sobre atendimento pediátrico e busca profissional para contratar

A Prefeitura de Mariápolis, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, procurou o SIGA MAIS na última semana para esclarecer sobre a situação do atendimento pediátrico prestado pelo poder público aos moradores locais. A falta de médico pediatra no Centro de Saúde de Mariápolis ocorre desde junho de 2017.

Segundo informou a administração municipal, a última profissional pediátrica que prestou atendimento à população trabalhou até 31 de maio daquele ano. A demanda, de longa data, vem sendo debatida pela Prefeitura junto à Câmara Municipal e com a comunidade, desde o início da atual gestão.

Também tem sido garantido o atendimento pediátrico por meio de encaminhamentos feitos a partir das recomendações do clínico geral do município.

Conforme o caso, segundo a administração municipal, os pacientes são encaminhados via SUS para serviços ambulatoriais na região, como o AME ou outras referências médicas, com também, conforme o caso, o município contrata e paga por consultas em clínicas particulares, para garantir a assistência médica às crianças. Nas duas hipóteses, além dos encaminhamentos, o município também realiza o transporte necessário.

Entenda

A situação do atendimento pediátrico no Centro de Saúde de Mariápolis é conhecida na comunidade local, de longa data. Na gestão anterior, o município ficou sem profissional pediatra no quadro a partir de 31 de maio de 2017, data em que a médica que atendia a saúde local, nessa área, desligou-se.

Essa demanda se tornou responsabilidade da atual administração no começo do ano passado, e desde então os dirigentes locais se movimentam para encontrar pediatra que pudesse prestar serviço na saúde pública do município.

A situação da falta desse profissional ocorre em diferentes cidades brasileiras. Muitos não se veem atraídos pela política de remuneração do poder público. “Essa não é uma questão local e específica ao município de Mariápolis, porem é uma realidade de diferentes cidades brasileiras”, explica o prefeito Ricardo Watanabe. “E diferentemente do que foi propagado por parte da imprensa, aqui em nossa cidade essa é uma deficiência de longa data, que nos dispomos a resolver, e vamos fazer de tudo para resolvê-la para garantir esse atendimento local, aos nossos moradores”, completa.

O prefeito ressalta não haver nenhuma dificuldade financeira que impeça a contratação. “A questão não é financeira. Em um ano organizamos as finanças, promovemos contenção de gastos e temos capacidade para custear um serviço de pediatria. A dificuldade, porém, é encontrar profissional no mercado de trabalho, que se disponha a atuar no serviço público”, explica. “Queremos, e vamos fazer de tudo, para que o Centro de Saúde volte a ter pediatra, sem que haja necessidade de deslocamentos dos nossos moradores e suas crianças, e quando precisar ocorrer viagens, que sejam apenas quando da ocorrência de casos mais complexos”, continuou.

Em sua declaração, o prefeito se refere a uma publicação divulgada por um veículo de imprensa da região, sobre esse tema, onde uma moradora e um vereador fizeram questionamentos. Ricardo Watanabe reitera que as cobranças dos moradores, dos vereadores e da imprensa são importantes e saudáveis para a administração municipal. “Porém, precisam ocorrer com clareza, responsabilidade e dentro dos fatos”, observa.

Publicidade

Prefeitura Municipal de Mariápolis

Publicidade

Prefeitura Municipal de Mariápolis

Garantir atenção imediata

Com a dificuldade para encontrar e contratar pediatra para o Centro de Saúde, a administração municipal de Mariápolis contratou uma clínica geral por meio do Consórcio Intermunicipal de Saúde (Cisap) com atuação por cerca de quatro anos em serviços pediátricos, para não deixar a população desassistida. Dentro das atribuições médicas, a clínica geral realizava o atendimento às crianças, e as demandas que exigissem a atuação especializada recebiam o encaminhamento para pediatra, dentro da própria rede pública regionalizada, ou em clínicas médicas particulares contratadas pela Prefeitura, conforme a urgência e características do caso.

Os atendimentos ocorriam dentro desse rito. O primeiro atendimento pela clínica geral se dava no Centro de Saúde. Qualquer necessidade complementar a própria Secretaria Municipal de Saúde promovia os agendamentos de consultas via SUS, ou encaminhava para a contratação particular e pagava diretamente ao prestador de serviço, como também agendava o transporte. “Com isso ninguém ficou desassistido”, destaca o prefeito. Já os casos de urgência e emergência são referenciados no pronto-socorro da Santa Casa de Adamantina, e a Secretaria Municipal de Saúde também atua em favor do morador local.

Conforme o prefeito Ricardo Watanabe, essa dinâmica pôde dar suporte aos moradores locais, temporariamente, e preventivamente, na ausência de um pediatra. “Nesse período conseguimos nos organizar e prestar esse serviço médico, dessa maneira, sem intercorrências e problemas. As questões da saúde das crianças que puderam ser resolvidas aqui, tiveram pronto atendimento e solução. E os demais casos, encaminhados via SUA ou para rede particular, tiveram todo o suporte da Prefeitura e Secretaria Municipal de Saúde”, enfatiza o prefeito.

Diálogo e transparência

Ainda em contato com a reportagem do SIGA MAIS, o prefeito Ricardo Watanabe destacou que essa deficiência, da falta de pediatra, é uma questão conhecida entre os moradores e tratada com diálogo, responsabilidade e transparência pela atual administração. Ele citou que o tema foi discutido no segundo semestre do ano passado em uma de suas idas à Câmara Municipal, onde se reúne periodicamente com os vereadores. Nesses encontros, presta contas acerca dos serviços municipais, programação de trabalho e também ouve demandas dos representantes do Poder Legislativo. “Sobre o serviço de pediatria, tratamos abertamente sobre a questão e pedimos a todos os vereadores a colaboração em indicar nomes de pediatras dispostos a trabalhar em Mariápolis, para que pudéssemos fazer o contato, sensibilizar sobre a nossa necessidade e realizar a contratação”, lembra Watanabe. 

Publicidade

Supermercado Godoy

Publicidade

Rede Sete Supermercado
JVR Segurança

Além desse espaço de diálogo entre os dois poderes, a questão específica também foi abordada pela Prefeitura de Mariápolis junto ao vereador Cleber Juliano de Oliveira, em 30 de novembro, em resposta ao Requerimento Nº 37/2021. A manifestação da Prefeitura é assinada pela Secretária Municipal de Saúde, Regiane Cristina Penha. Veja a íntegra do documento público:

Resposta do Requerimento (Reprodução).

Na reposta ao Requerimento, com data de 30 de novembro, a gestora municipal de saúde explica a situação da médica clínica geral contratada para a finalidade específica de atender crianças. “Desse modo, a mesma tem total autonomia para atendimentos desde crianças até adultos já que pelo CBO o clínico geral é o profissional responsável por diagnosticar doenças, desde as mais simples até as mais complexas. Caso verifique que a atual situação do paciente precisa da interferência de um especialista, ele realiza o encaminhamento necessário”, diz um trecho inicial da resposta. “Mediante a nova política da Atenção Básica o município após realizar várias tentativas de contratação de um médico com especialidade em pediatria não obtendo sucesso, realizou a contratação de um médico clínico geral para dar atendimento exclusivo às crianças de nosso município, proporcionando um atendimento diferenciado conforme os princípios do artigo 3 supra citado, sendo assim, a atual contratação está apta na realização das consultas médicas em atenção primária”, encerra.

Portas abertas

Para qualquer esclarecimento, a Prefeitura de Mariápolis, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, ou do Gabinete do Prefeito, se colocam à disposição dos moradores, vereadores, instituições, imprensa e de qualquer outro interessado, em seus endereços, por telefone, e-mail e ouvidoria municipal.

O Paço Municipal fica na Avenida Prefeito Bernardo Meneghetti, 1800.  Os contatos podem ser feitos pelo telefone (18) 3586-1315 e e-mail gabinete@mariapolis.sp.gov.br.

A Secretaria Municipal de Saúde fica na Praça Frei Dionizio Antônio Marinelli, 85, com telefone (18) 3586-1234 e e-mail  saude@mariapolis.sp.gov.br.

Já a ouvidoria da Prefeitura de Mariápolis pode ser acessada pelo site da Prefeitura Municipal (link aqui).