Esportes

Atleta adamantinense dribla dificuldades por foco em vaga olímpica

Recentemente, a atleta participou do Grand Prix Sul-americano, na Argentina.

Por: Portal Prudentino atualizado: 6 de abril de 2021 | 15h02
Assim como a maioria dos atletas, Izabela da Silva segue enfrentando dificuldades para conseguir treinar (Reprodução/Instagram). Assim como a maioria dos atletas, Izabela da Silva segue enfrentando dificuldades para conseguir treinar (Reprodução/Instagram).

 

Líder do ranking brasileiro no lançamento do disco, a adamantinense Izabela da Silva (IEMA/São Caetano do Sul) segue firme na busca pelo seu objetivo: representar o Brasil em uma Olimpíada e conhecer o Japão; ambos podem ser realizados neste ano.

"Eu diria que está em andamento, estou me esforçando, me dedicando o máximo que posso, cuidando da minha saúde física e mental, porque tudo isso é um grande sonho meu, tanto a olimpíada como conhecer o Japão, me esforçando para que minha lesão não me afete tanto no treinamento quanto nas competições", conta Izabela.

Recentemente, ela participou do Grand Prix Sul-americano, na Argentina e o saldo foi positivo. Na primeira etapa, conquistou a medalha de ouro, com 54,22 m. Na segunda etapa, ficou com a medalha de prata, com 55,91 m.

Dificuldades para treinar

Assim como a maioria dos atletas, Izabela da Silva segue enfrentando dificuldades para conseguir treinar como deveria para conquistar o índice olímpico, mas explica que o momento é para superar extremos.

"Bem nesse momento em meio ao caos de pandemia, tudo fechado, sem competições, abre e fecha de pista de atletismo, eu diria que tá meio desanimador, porém tento me animar para os dias que são liberados para treinar, eu diria que é um momento de tentar se superar ao extremo, diz. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Clínica Savi
Supermercado Godoy

Publicidade

Daiane Mazarin Estética
JVR Segurança
Rede Sete Supermercado

Com apoio da psicóloga Vanessa Mantovani, a atleta procura não se deixar abater com a avalanche de notícias ruins, bem como a possibilidade de adiar uma cirurgia.

"É não deixar se levar ao que está acontecendo, isto que está acontecendo é um momento delicado que mexe com o nosso psicológico, e eu tentando lutar contra a minha mente para não deixar me levar é difícil, ainda mais quando me pego pensando muito no fato da minha lesão ter afetado o meu rendimento, e outros fatores desanimadores, e tendo que pensar em adiar a cirurgia para tentar o índice olímpico, é difícil, porém não é impossível", diz Izabela.

Driblando a pandemia

Com as pistas fechadas por conta do avanço da pandemia, a atleta conta como está realizando os treinamentos.

"Tento treinar o básico em casa, não posso desanimar até porque meu sonho sempre foi ir para o Japão e agora que eu tenho a chance tenho que agarrar forte essa chance e me dedicar ao máximo para tentar ir para as Olimpíadas representar meu País e minha honra como atleta", pontua.

Publicidade

Insta do Siga Mais

Publicidade

Cinema