Ensino

Primeira turma do Colégio Agrícola de Adamantina se reencontra após 50 anos

Primeira turma ingressou em 1971 e se formou em 1973.

Por: Da Redação atualizado: 19 de julho de 2022 | 11h39
Ex-alunos, representantes atuais da Escola e convidados, na celebração dos 50 anos da primeira turma (Cedida). Ex-alunos, representantes atuais da Escola e convidados, na celebração dos 50 anos da primeira turma (Cedida).

Aconteceu no último sábado (16) na ETEC Engenheiro Herval Bellusci (Colégio Agrícola) de Adamantina o reencontro de ex-alunos que integraram a primeira turma da instituição de ensino. Eles ingressaram no Colégio em 1971, quando do início de seu funcionamento, e se formaram em 1973.

O reencontro foi articulado pelos ex-alunos com o objetivo de celebrar a data e as conquistas pessoais a partir da carreira profissional iniciada após a formação obtida na escola adamantinense.

Cerimonial de abertura do encontro (Siga Mais).Primeiro diretor da Escola, José Alberto Monteiro (Siga Mais).Um dos professores da primeira turma (Siga Mais).

Os ex-alunos participantes moram em diferentes regiões do país. A maioria reside nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, onde construíram carreira no segmento agro.

Além dos 19 ex-alunos, o encontrou também teve a participação de professores da turma e do primeiro diretor do Colégio, professor José   Alberto  Monteiro. O cerimonial foi conduzido por Milton  Pereira Silva.

Faixa dá boas vindas aos ex-alunos (Siga Mais).

Ainda na cerimônia, no sábado, discursaram o atual diretor da Escola, José Geraldo de Souza, e dois ex-prefeitos de Adamantina, Ivo Santos e Kiko Micheloni. No reencontro foi destacado o idealismo, pioneirismo, empenho e apoio do então prefeito Élio Micheloni, pai de Kiko. Ele foi o autor e assina a Lei Municipal Nº Lei 1.035, de 9 de setembro de 1970, aprovada pela Câmara Municipal, que autorizou o Município a celebrar convênio com a Secretaria de Estado dos Negócios da Educação, para instalação e funcionamento do Colégio em Adamantina.

Texto da lei assiinada pelo ex-prefeito Élio Micheloni (Reprodução/Câmara Municipal).

Celebrado o convênio, o então prefeito Élio Micheloni promoveu a aquisição de 41 alqueires no bairro Boa Vista, para a instalação do Colégio, conforme Lei Municipal Nº Lei 1.054, de 4 de novembro de 1970. Na sequência, de imediato, promoveu a construção da estrutura inicial da Escola, permitindo o início das aulas já em 1971, possibilitando ainda todo o apoio da administração municipal para o funcionamento da nova unidade de ensino.

Publicidade

Daiane Mazarin Estética
Supermercado Godoy

Publicidade

Rede Sete Supermercado
JVR Segurança

Trajetória e atuais cursos

O Colégio foi criado pelo Decreto Estadual 52.553 de 6 de novembro  de 1970 e iniciou seu funcionamento no início de 1971. Em 1976, através da Resolução SE-31 de 28/01, publicada no Diário Oficial de 29 de janeiro de 1976, foi transformado em Escola Estadual de Segundo Grau Engenheiro Herval Bellusci.

A partir de 1985 teve a denominação alterada para Escola Técnica Agrícola de Segundo Grau (ETAESG) Engenheiro Herval Bellusci, conservando tal denominação até 1994, quando foi incorporada ao Centro Paula Souza, passando a figurar como Escola Técnica Estadual (ETE) Engenheiro Herval Bellusci.

Parte do grupo, em confraternização (Cedida).

Atualmente a denominação utilizada é ETEC Engenheiro Herval Bellusci, por força da Lei Complementar 1044/2008.

A ETEC oferece em sua sede os cursos técnico em agropecuária (modular), técnico em zootecnia e técnico em agropecuária integrado ao ensino médio. A unidade mantém também classes descentralizadas em Bastos com quatro cursos técnicos: marketing, administração, recursos humanos e contabilidade.

Obelisco símbolo da Escola (Siga Mais).

O ingresso de novos alunos é realizado por processo seletivo (vestibulinho), realizado pelo Centro Paula Souza.

Quem foi Herval Bellusci

Herval Bellusci era um jovem adamantinense formado em agronomia, que faleceu aos 24 anos, em acidente automobilístico. Era filho de uma família tradicional e pioneira de Adamantina. A determinação do nome da Escola foi feita através de indicação do prefeito Élio Micheloni, em homenagem à família Bellusci como reconhecimento das contribuições prestadas à comunidade adamantinense. 

Publicidade

Nova Foto e Ótica
Tio Panda Adamantina