Coronavírus

Covid-19 tem alta de casos em Adamantina: são 32 ativos e três hospitalizações, sendo uma na UTI

Na rede pública há 53 exames de moradores locais aguardando resultados.

Por: Da Redação atualizado: 23 de novembro de 2022 | 17h52
(Reprodução/Prefeitura de Adamantina). (Reprodução/Prefeitura de Adamantina).

Depois de um período de estabilidade e até zerar os casos de Covid-19 em Adamantina, o município volta a registrar alta nos caso, como revela o boletim epidemiológico divulgado às 14h55 desta terça-feira (22) pela Prefeitura de Adamantina, por meio da Vigilância Epidemiológica local.

Conforme o boletim, a cidade tem atualmente 32 casos ativos entre os moradores locais e três pacientes hospitalizados, dos quais um deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Entre os dois hospitalizados, na enfermaria, um é de Adamantina. Ainda de acordo com o boletim, há 53 exames na rede pública aguardando resultados.

 Conforme o boletim epidemiológico da Covid-19, Adamantina contabiliza 27.818 notificações em toda a pandemia, das quais 11.860 evoluíram para casos confirmados. Entre as confirmações. 11.828 moradores se curaram da doença e 182 foram a óbito.

Publicidade

Daiane Mazarin Estética
Supermercado Godoy

Publicidade

Rede Sete Supermercado
JVR Segurança

Fiocruz alerta para alta de casos de covid-19 em SP e mais três estados

Divulgado no dia 10 de novembro, o novo Boletim InfoGripe Fiocruz sinaliza para o aumento nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) com resultado laboratorial positivo para Sars-CoV-2 (Covid-19) na população adulta do Amazonas, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Segundo o coordenador do InfoGripe, Marcelo Gomes, ainda não é possível afirmar que esse crescimento esteja relacionado especificamente com as identificações recentes de novas sublinhagens identificadas em alguns locais do país. O tempo transcorrido desde o pico observado entre maio e junho de 2022 pode ser um dos fatores a contribuir.

O cientista destaca, ainda, que a hipótese de uma sazonalidade da Covid-19 com dois picos anuais se torna mais provável se o cenário de algumas unidades federativas se traduzir em outro ciclo de aumento expressivo. "Diferente do Influenza e outros vírus respiratórios com tipicamente um pico por ano, a Covid-19 pode estar se encaminhando para uma realidade na qual a gente tenha que conviver com dois momentos do aumento da sua circulação", reforça Marcelo Gomes. (Acesse aqui o site da Fiocruz com a íntegra do conteúdo)

Mais de 69 milhões de brasileiros não tomaram a primeira dose de reforço contra a Covid-19, diz Ministério da Saúde 

Mais de 69 milhões de brasileiros ainda não voltaram aos postos para receber a primeira dose de reforço da vacina contra a Covid-19, segundo dados do Programa Nacional de Imunizações (PNI), divulgados neste mês pelo Ministério da Saúde. Já 32,8 milhões de pessoas poderiam ter recebido a segunda dose de reforço contra a doença, mas ainda não se vacinaram. Os imunizantes estão disponíveis em mais de 38 mil postos de vacinação em todo Brasil. 

O Ministério da Saúde reforça a importância de completar essa etapa do ciclo vacinal, aumentando a imunidade contra a doença. Estudos mostram que a estratégia de reforçar o calendário vacinal contra o coronavírus aumenta em mais de cinco vezes a proteção contra casos graves e óbitos pela Covid-19. (Acesse aquo o site do Ministério da Saúde com a íntegra do conteúdo)

Publicidade

Tio Panda Adamantina
Cóz Jeans
Nova Foto e Ótica

Publicidade

Insta do Siga Mais