Coronavírus

Covid-19 em SP: número de óbitos está estável ou em queda em 89% dos municípios

Aumento no volume de testagens tem elevado número de casos, porém com menos mortes e internações.

Por: Agência Brasil atualizado: 3 de agosto de 2020 | 17h42
Segundo o Governo de São Paulo, mais casos são decorrentes do maior volume de testagens, porém com menos mortes e internações (Portal do Governo de SP). Segundo o Governo de São Paulo, mais casos são decorrentes do maior volume de testagens, porém com menos mortes e internações (Portal do Governo de SP).

O secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse na sexta-feira (31) que 83 dos 645 municípios do estado de São Paulo estabilizaram ou diminuíram o número de internações pelo novo coronavírus nos últimos dias. Gorinchteyn também disse que  89% dos municípios do estado apresentam estabilidade ou queda no número de óbitos, incluindo a capital paulista.

Segundo Gorinchteyn, a capital paulista obteve esta semana “a menor taxa de internações e de óbitos” pelo novo coronavírus dos últimos três meses, cenário que vem se mantendo em queda há duas semanas. “Mostrando uma condição de controle da doença no município”, disse.

Nesta 31ª Semana Epidemiológica - que corresponde ao período entre 26 de julho e se encerrou neste sábado (1º), a capital vem apresentando uma alta na média móvel diária de casos. Segundo dados do governo paulista, a média é de 2.914 novos casos contabilizados a cada dia desta semana. A média móvel é calculada somando-se a quantidade obtida na semana e dividindo-se pelo número de dias.

No entanto, quanto às novas internações, esta semana [ainda não encerrada] vem demonstrando queda na capital: a média móvel está em torno de 583 novas internações por dia, o menor número desde o início de maio. A maior média diária neste período foi registrada na 24ª semana (entre os dias 7 e 13 de junho), com 823 internações por dia.

Em relação às mortes, a capital também vem apresentando queda na 31ª Semana Epidemiológica, somando 53 óbitos por dia, menor valor desde maio.

Média móvel no estado

No estado como um todo, a média móvel diária de casos vem sofrendo um grande aumento, com cerca de 9.992 novos casos por dia na 31ª Semana Epidemiológica, a maior desde maio. Isso se deve, segundo o governo paulista, a um aumento da testagem no estado. “Apesar de elevarmos os números de casos, impactamos menos, muito menos, em [número de] mortes e internações. E isso se deve à testagem”, disse o secretário da Saúde.

Nesta semana, o estado vem registrando uma média de 1.779 novas internações por dia, menor valor contabilizado desde a 23ª Semana Epidemiológica (entre os dias 31 de maio e 6 de junho). Caso os dados se confirme após o final desta semana [que ocorre amanhã], esta será a segunda semana seguida de queda de internações no estado.

Quanto à média móvel diária de óbitos, ela está em torno de 239 mortes por dia no estado. O patamar é considerado alto, acima de 200 mortes por dia, desde a 22ª Semana (entre os dias 24 e 30 de maio), mas se esboça uma queda pela segunda semana consecutiva, caso a média desta semana se confirme neste patamar. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Supermercado Godoy
Clínica Savi

Publicidade

Daiane Mazarin Estética
Rede Sete Supermercado
JVR Segurança

Interiorização

Segundo Marco Vinholi, secretário de Desenvolvimento Regional, 640 dos 645 municípios do estado registram ao menos um caso do novo coronavírus, comprovando a interiorização da pandemia. Em 474 deles foram registrados ao menos um óbito.

“Os números que vamos passando da interiorização se tornam cada vez mais agudos”, disse Vinholi. Isso é comprovado, segundo ele, pelo fato de que o interior passou o número de casos registrados tanto na capital quanto na região metropolitana somados. “Nos últimos sete dias tivemos 57,88% dos casos no interior do estado, enquanto tivemos 42,11% na capital e na região metropolitana juntas nesse período. Pela primeira vez tivemos mais casos no interior que a capital e região metropolitana juntas”.

Quanto aos óbitos, o interior foi responsável por 59,86% do total do estado contabilizado nos últimos sete dias, enquanto a capital e a Grande São Paulo corresponderam a 40,14%.

A taxa de letalidade do estado, que é o cálculo da proporção de óbitos sobre o total de casos, está hoje em 4,3%, a menor taxa registrada desde o início da pandemia.

Publicidade

Cinema

Publicidade

Insta do Siga Mais