Coronavírus

Covid- 19: Tupã restringe circulação em praças, das 22h às 6h; Ourinhos pode adotar lockdown

Alta circulação de pessoas e salto na ocupação de leitos e UTI Covid-19 motivaram as novas medidas.

Por: Da Redação | Com informações do Tupacity e Assiscity atualizado: 13 de janeiro de 2021 | 14h01
Prefeitura de Ourinhos anuncia que, se necessário, poderá determinar lockdown (Divulgação/PMO). Prefeitura de Ourinhos anuncia que, se necessário, poderá determinar lockdown (Divulgação/PMO).

Duas iniciativas em municípios ligados ao Departamento Regional de Saúde (DRS) de Marília devem endurecer as medidas de enfrentamento à Covid-19, sobretudo no que se refere à circulação de pessoas.

Em Tupã, segundo informou o portal Tupacity, a Prefeitura anunciou nesta segunda-feira (11) que vai proibir a circulação de pessoas nas praças e espaços públicos, das 22h às 6h. A decisão, que começa a ser aplicada hoje (12) busca conter o avanço do coronavírus no município.

Com essa medida, segundo o portal, fica proibido a entrada, permanência ou circulação de pessoas nestes locais ou imediações.

O Tupacity informa que a fiscalização da Prefeitura vai dispersar as pessoas e orientar. Porém, se necessário, será utilizada a ajuda de outros órgãos, como Polícia Militar, Conselho Tutelar, Conselho Municipal da Criança e Adolescente, Vigilância Sanitária e Agentes de Trânsito. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Clínica Savi
Supermercado Godoy

Publicidade

JVR Segurança
Rede Sete Supermercado
Daiane Mazarin Estética

Em Ourinhos, segundo divulgou o portal Assiscity, a Prefeitura também anunciou nesta segunda-feira que irá restringir as medidas de flexibilização e, caso necessário, irá adotar o lockdown. A decisão foi originada do Comitê Covid da cidade e leva em consideração a falta de conscientização e o fato dos hospitais estarem lotados, assim como os leitos de UTI no município. “O comitê técnico constatou que, apesar do esforço de uma pequena parcela, a maior parte da população não colaborou com as medidas preventivas, muitos estabelecimentos comerciais não fizeram o controle de fluxo, entre outras questões, que resultaram na lotação dos hospitais e leitos de UTI da cidade. Lembrando que a Prefeitura de Ourinhos é uma das poucas que ainda manteve, às suas custas, um Hospital de Campanha. Diante do estudo, foi acordado que se não houver uma medida restritiva mais rígida, o Poder Executivo poderá ser penalizado. O novo decreto irá conter medidas rígidas por sete dias para controlar a situação. E caso não haja melhora neste período, o município irá adotar o lockdown como caminho, diz a nota do poder público reproduzida pelo Assiscity.

Publicidade

Tio Panda Adamantina

Publicidade

Cinema
Insta do Siga Mais