Coronavírus

Adamantina: dos 806 casos de Covid-19 desde o início da pandemia, 226 foram nos últimos 30 dias

Cidade tem alta no numero de casos ativos, óbitos e pacientes recuperados da Covid-19.

Por: Da Redação atualizado: 18:30
Aumento de casos positivos de Covid-19, nos últimos dias, põe serviços de saúde em alerta (Foto: Ilson Abreu/AEN). Aumento de casos positivos de Covid-19, nos últimos dias, põe serviços de saúde em alerta (Foto: Ilson Abreu/AEN).

Adamantina tem vivenciado nos últimos dias um salto nos registros de novos casos da Covid-19 entre moradores locais, e também na ocupação de leitos de enfermaria e UTI para pacientes com a doença, na Santa Casa local. Os números obtidos a partir dos boletins epidemiológicos, divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde, mostram esse crescimento.

Segundo verificou o SIGA MAIS, em 11 de dezembro a cidade tinha 580 casos confirmados da Covid-19 acumulados desde o início da pandemia (veja boletim do dia 11/12/2020). Já no mais recente boletim epidemiológico, divulgado nesta terça-feira (12), são 806 registros positivos da doença (veja boletim do dia 12/01/2021). São 226 novos casos ao longo dos últimos dias, o que representa um crescimento de 38,9%.

Entre os casos ativos, em 11 de dezembro eram 15. Agora, são 96. Esse cenário tem alterações diárias, para mais ou para menos, o que depende da recuperação de cada paciente monitorado, ou da inclusão de novos registros. Comparando as duas datas, os dados de hoje mostram 81 casos ativos a mais do que um mês atrás, uma diferença de 540%.

Já entre os pacientes curados também houve um acréscimo, o que é bastante positivo. Até 11 de dezembro eram 551. Agora, são 692, com 141 moradores positivos recuperados da doença, uma variação de 25,58%.

Em relação a óbitos, eram 14 registros de mortes atribuídas à doença, até o dia 11 de dezembro. Agora, um mês depois, são 18 óbitos. O registro de quatro novas mortes representa um crescimento de 28,57%, nesses últimos 30 dias.

Considerando as notificações totais da doença, ou seja, aqueles casos de moradores que procuram o serviço de saúde com sintomas, para testagem, foram 2.869 registros até 11 de dezembro, saltando para 3.569 no dia 12 de janeiro. São 700 novas notificações, em 30 dias, que representam um crescimento de 24,39%.

Na Santa Casa a situação também é de preocupação. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira, há 6 pessoas hospitalizadas em alas especiais para pacientes com Covid-19. De Adamantina, são 3 moradores na enfermaria e 2 na UTI, e 1 paciente de outro município na UTI.

Relaxamento, aglomerações e festas de fim de ano

O relaxamento quanto às orientações ao distanciamento social, uso de máscaras de proteção facial e uso de álcool gel pra higienização das mãos, bem como a ocorrência de aglomerações – como as noticiadas pelo SIGA MAIS ocorridas no Parque dos Pioneiros e em um loteamento da cidade (reveja) – e ainda as reuniões familiares ligadas às festividades de fim de ano, maior número visitantes na cidade e maior circulação de pessoas no comércio e serviços, nas últimas semanas, são apontados com desencadeadores dessas altas.

Passadas as festividades, no dia 7 de janeiro a Prefeitura de Adamantina distribuiu uma nota à imprensa, em tom de alerta, sobre a alta de casos. “As festas de fim de ano; o relaxamento das medidas de prevenção com famílias inteiras frequentando o comércio em geral; a maior circulação de pessoas e as aglomerações são alguns dos fatores que estão contribuindo para o aumento dos casos da Covid-19 no município. A Prefeitura de Adamantina pede que a população retome todos os cuidados necessários e as medidas de prevenção”, diz parte do texto (reveja)

Testagem

Na mesma nota, em alerta, a Prefeitura de Adamantina orientou sobre a realização de testagens para a Covid-19 na cidade. Segundo a publicação, a Secretaria de Saúde disponibiliza quatro tipos de testes que são utilizados para o diagnóstico da Covid-19 sendo eles: o RT-PCR (exame coletado e enviado para o Laboratório de referência Adolfo Lutz), o SWAB antígeno, teste rápido e o sorológico. “A pasta explica que os agendamentos prévios para a realização dos exames são fundamentais, pois a escolha do tipo de teste deve levar em consideração o período do início dos sintomas que o paciente relata no momento da consulta, através disso o médico irá optar pelo melhor método diagnóstico, seguindo os protocolos do Ministério da Saúde”.

A Central Covid-19 em Adamantina está funcionando todos os dias das 7h às 17h no Centro de Saúde, conhecido como "Postão". Os pacientes que necessitarem devem procurar o local para receberem informações e o atendimento necessário. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Supermercado Godoy
Clínica Savi

Publicidade

JVR Segurança
Rede Sete Supermercado
Daiane Mazarin Estética

Vacinação

Diante da alta de casos no Brasil, sobretudo nos meses dezembro e janeiro, das implicações na saúde e na economia, a grande expectativa está em torno da vacinação. O Estado de São Paulo pretende iniciar a imunização da população paulista, por grupos prioritários, a partir do dia 25 de janeiro. Para isso, aguarda a aprovação pela Anvisa do pedido feito pelo Instituto Butantan, de uso emergencial da vacina Coronavac, cujos resultados de eficácia foram apresentados semana passada (reveja) e complementados nesta terça-feira (saiba mais), confirmando a eficácia global da vacina superior à exigida pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

O Ministério da Saúde também se movimenta para iniciar a vacinação, e trabalha com três cenários para o início da campanha de imunização. No melhor caso, o processo começaria em 20 de janeiro se os laboratórios conseguirem autorização em caráter emergencial juntamente à Anvisa. Nesta hipótese, estariam disponíveis oito milhões de doses. A imunização ocorreria com as vacinas que estivessem disponíveis, sejam elas as do Instituto Butantan ou as importadas da Astrazeneca da Índia.

A perspectiva do Ministério da Saúde é que sejam disponibilizadas em 2021 até 354 milhões de doses. Este total deve ser formado por dois milhões de doses importadas da Astrazeneca da Índia, 10,4 milhões produzidas pela Fiocruz até mês de julho, 110 milhões fabricadas no Brasil pela Fiocruz a partir de agosto, 42,5 milhões do mecanismo Covax Facility (provavelmente da Astrazeneca) e as 100 milhões da Coronavac oriundas do contrato com o Instituto Butantan.

Em âmbito local, a Prefeitura de Adamantina anunciou semana passada o interesse em adquirir 35 mil doses da Coronavac junto ao Instituto Butantan. A intenção da administração municipal foi publicada por parte da imprensa local, no último fim de semana.

A dose do imunizante é comercializada por US$ 10,30. Considerando a atual cotação do dólar, o custo unitário da dose é de R$ 56,53. Se efetivada a aquisição, o valor total, na cotação atual da moeda americana, ficaria em R$ 1.978,550,00. 

Publicidade

Tio Panda Adamantina

Publicidade

Cinema
Insta do Siga Mais