Cidades

Produzidas por reeducandas, Penitenciária de Tupi Paulista doa toucas de lã ao Pai Nosso Lar

Iniciativa faz parte de projeto desenvolvido pela Penitenciária em parceria com o Poder Judiciário.

Por: Da Redação atualizado: 13 de julho de 2020 | 12h57
Toucas produzidas pelas reeducandas foram recebidas pela clínica PAI Nosso Lar (Divulgação/PAI  Nosso Lar). Toucas produzidas pelas reeducandas foram recebidas pela clínica PAI Nosso Lar (Divulgação/PAI Nosso Lar).

A clínica PAI Nosso Lar, de Adamantina, recebeu na última quinta-feira (9) um lote com 92 toucas de lã produzidas por reeducandas da Penitenciária Feminina de Tupi Paulista. A doação vai atender aos pacientes da instituição, proveniente do projeto social de qualificação profissional de mulheres presas “Polvo do Amor”, desenvolvido pela unidade prisional e o Poder Judiciário.

A entrega das 92 toucas foi feita pela diretora da unidade prisional, Adriana Alkmin Domingues, com a presença dos juízes Fábio Alexandre Marinelli Sola, titular da 1ª Vara da Comarca local e juiz auxiliar do Departamento de Execuções Criminais da 5ª Região Administrativa do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), responsável por acompanhar 11 presídios da região (Tupi Paulista a Osvaldo Cruz); e Ruth Duarte Menegatti, titular da 3ª Vara da Comarca de Adamantina e diretora do fórum local. 

(Divulgação/PAI  Nosso Lar).

Participaram também os dirigentes do PAI Nosso Lar, José Neto e Milton Ura, e ainda o padre Rui Rodrigues da Silva, pároco da Igreja Matriz de Santo Antônio. (Continua após a publicidade...)  

Publicidade

Supermercado Godoy
Clínica Savi

Publicidade

JVR Segurança
Rede Sete Supermercado
Daiane Mazarin Estética

Polvo do amor

A partir de parceria entre a Penitenciária Feminina de Tupi Paulista e o Poder Judiciário, é desenvolvido o projeto Polvo do Amor. Um dos itens produzidos foi o próprio Polvo do Amor, confeccionados em crochê, pelas mãos das reeducandas.

O objeto é usado na recuperação de bebês prematuros sob cuidados e UTI neonatal, onde o recém-nascido tem contato com os tentáculos, que por sua vez lembram o cordão umbilical e o ambiente uterino da mãe. Comprovadamente, auxilia na recuperação dessas crianças.

Outro trabalho foi a produção de toucas e turbantes infantis e tiaras para adultos.

Os materiais produzidos atenderam instituições como a Rede de Combate ao Câncer, de Adamantina, além de outras instituições e hospitais da região, em Tupã, Dracena e Presidente Prudente (reveja).

Publicidade

Cinema
Clinica Lu Applim

Publicidade

Insta do Siga Mais