Cidades

Moradores se unem e transformam área pública no residencial Parque Universitário

Espaço tinha manutenção esporádica e foi ocupado positivamente pela ação de moradores.

Por: Da Redação atualizado: 26 de julho de 2021 | 14h50
Materiais recicláveis tomaram novas formas e deram mais vida ao lugar (Imagens: Ana Luiza Cordeiro). Materiais recicláveis tomaram novas formas e deram mais vida ao lugar (Imagens: Ana Luiza Cordeiro).

Um grupo de moradores do residencial Parque Universitário, em Adamantina, se uniu e conseguiu transformar a realidade de um espaço público – área verde – em frente às suas casas. A iniciativa foi liderada e executada pelos moradores Célia Cardoso e o marido Milton, Jane Ribeiro e o marido Beto e Luzinete Cordeiro e o marido Ronei.

Sem danificar qualquer das espécies arbóreas do local, eles fizeram uma ocupação positiva com limpeza e o uso de materiais reciclados e tornaram o lugar um novo espaço de convivência comunitária, sobretudo para as crianças.

Os moradores Célia Cardoso e o marido Milton, Luzinete Cordeiro e o marido Ronei e Jane Ribeiro e o marido Beto, que lideraram a intervenção (Cedida).

O local integra o espaço urbano de uso comum, e como nas demais áreas semelhantes, no município, a manutenção pelo poder público é esporádica e muitas vezes precisa ser reclamada para despertar a atenção dos gestores públicos. Com isso, era comum o crescimento de mato e ainda ocorria o despejo de materiais inservíveis.

Sem esperar pelo poder público, o grupo se mobilizou, idealizou as intervenções e colocou o projeto em prática.

(Imagens: Ana Luiza Cordeiro).(Imagens: Ana Luiza Cordeiro).

Nesse desafio o primeiro passo foi a limpeza do local, com a remoção do mato e detritos. Em paralelo, começaram a reunir materiais recicláveis, como madeiras de paletes, garrafas pet, calotas de rodas de veículos e carreteis de madeira, e tudo se transformou. Os moradores também receberam algumas doações.

Toda a mobilização fez o grupo de moradores exercitar práticas como cidadania, sustentabilidade, solidariedade, senso comunitário, pertencimento e responsabilidade coletiva, entre outros valores.

Transformação e cuidados

Os objetos reunidos pelos moradores foram transformados pelas próprias mãos do grupo. Paletes inteiros foram transformados em mesas e outras peças coloridas. O local tem bancos e mesas que estimulam a convivência dos moradores, que podem ocupar esses espaços para uma leitura, interagir pelo celular e acompanhar as crianças em momentos de lazer.

(Imagem: Ana Luiza Cordeiro).

As garrafas pet, provenientes de embalagens de refrigerantes, sucos e produtos de limpeza ganharam formas de animais e se tornaram floreiras. Outras peças, também com contornos de animais, decoram o espaço. As calotas de rodas de veículos foram transformadas em flores.

(Imagem: Ana Luiza Cordeiro).(Imagens: Ana Luiza Cordeiro).

Também foram instaladas casas de passarinhos em galhos secos, e ainda há placas com mensagens positivas espalhadas por todo o lugar, além de informes de orientação para que todos cuidem do espaço coletivo. Todos os trabalhos manuais são carregados com cores vivas e vibrantes.

Agora, com boa parte das intervenções concluídas – e outras ideias que ainda poderão ser colocadas em prática – os moradores também se revezam na zeladoria do espaço, com cuidados rotineiros de limpeza e manutenção.

(Imagens: Ana Luiza Cordeiro).

Assim, mais que a própria transformação dos materiais, a iniciativa muda a realidade do lugar e pode também transformar pessoas, da própria comunidade, e outras que possam se espelhar e multiplicar a iniciativa em outros espaços da cidade.

Publicidade

Supermercado Godoy
Clínica Savi

Publicidade

JVR Segurança
Rede Sete Supermercado
Daiane Mazarin Estética

Lugar de paz

Em uma publicação nas redes sociais, a professora Ana Luiza Cordeiro, irmã de uma das mobilizadoras envolvidas na iniciativa do Parque Universitário, comentou sobre a intervenção. “Solidariedade, sustentabilidade, reciclagem, empatia. Tudo isso podemos enxergar nesse espaço verde que se tornou um lugar de descanso e lazer para os moradores dessa rua. Mas, para quem tem empatia, amor ao próximo, consegue ver aqui muito mais que isso. Os moradores se dedicam, zelam, cuidam com carinho e oferecem a natureza de presente para pessoas que passam por aqui. Em cada detalhe tem um pouco do coração dessas pessoas. Essa atitude é um exemplo para outros moradores que têm próximos de suas casas um pedaço verde como esse. É preciso somente um pouco de dedicação e amor. Todos podem ajudar. Eu amo vir aqui. Não há aglomerações e as crianças do bairro amam andar descalço, pisar na areia e tudo o mais. Isso é possível pois o espaço é rastelado todos os dias pelos moradores daqui. É muito bacana. Se você tem um espaço assim, convide seu vizinho e transforme a natureza que já é bela, num espaço de lazer para seus filhos e netos”, publicou.

(Imagens: Ana Luiza Cordeiro).

Publicidade

Insta do Siga Mais
Tio Panda Adamantina

Publicidade

Energisa