Cidades

Homem que matou ex-companheira em Junqueirópolis é condenado a 21 anos

Crime foi em fevereiro de 2022. Homem não aceitava o fim do relacionamento e matou a mulher.

Por: Da Redação | Com informações do MPSP atualizado: 15 de maio de 2024 | 15h01
Edcarla Carbone foi morta em 2022 pelo ex-marido Rafael Pereira (Reprodu??o/Redes Sociais). Edcarla Carbone foi morta em 2022 pelo ex-marido Rafael Pereira (Reprodu??o/Redes Sociais).

Foi condenado a 21 anos de prisão, em regime inicial fechado, o mecânico Rafael Pereira, que matou a ex-esposa na cidade de Junqueirópolis. Após denúncia oferecida pela promotora Jamile Tavares e atuação em Plenário do também promotor Bruno Arneiro Soares, o conselho de sentença do Poder Judiciário reconheceu, na última sexta-feira (10), a prática de feminicídio com mais duas qualificadoras: motivo torpe e impossibilidade de defesa da vítima, a auxiliar de enfermagem Edcarla Carbone, na época dos fatos com 44 anos.

Publicidade

Supermercado Godoy
Dr. Paulo Tadeu Drefahl | Cirurgião Plástico

Publicidade

JVR Segurança
Rede Sete Supermercado

Conforme divulgou o MPSP, réu e vítima tiveram por 21 anos um relacionamento que resultou no nascimento de três filhos. Na época dos fatos, contudo, os dois já estavam separados e providenciando a formalização do divórcio.

Inconformado com a separação, no dia 11 de fevereiro de 2022 o homem foi até a casa da ex-companheira e permaneceu alguns instantes em frente ao imóvel, aguardando o momento oportuno para o ataque.  

Publicidade

Cocipa - Hiper Cliente Feliz
Daiane Mazarin Estética

Alertada por vizinhos, a mulher foi até o réu e disse que acionaria a polícia se ele não fosse embora, mas acompanhou-o até seu carro. Nesse momento, ele atirou várias vezes contra a vítima. "O crime foi cometido por razões de sexo feminino, pois praticado no contexto de violência doméstica e familiar e tendo em vista o menosprezo revelado pelo denunciado em relação à vítima, relegando a sua condição de mulher e tratando-a como se fosse um objeto pessoal", diz a denúncia do MPSP.

Publicidade

Shiba Sushi Adamantina
P&G Telecomunicações
Cóz Jeans

Publicidade

Insta do Siga Mais