Cidades

Governo de SP multou Bolsonaro pela 3ª vez por não uso de máscara e divulgou custos com segurança

Presidente, quatro autoridades de órgãos federais e três deputados federais foram multados.

Por: Da Assessoria | Governo de São Paulo atualizado: 18:02
Presidente Jair Bolsonaro neste sábado (31) em Presidente Prudente (Foto: Emerson Sanchez/TV Fronteira). Presidente Jair Bolsonaro neste sábado (31) em Presidente Prudente (Foto: Emerson Sanchez/TV Fronteira).

O Governo do Estado de São Paulo autuou neste sábado (31) pela terceira vez o Presidente Jair Bolsonaro e outras sete autoridades pelo não uso de máscara em aglomeração em manifestação iniciada em Presidente Prudente.

Além dele, também receberam autuações da Vigilância Sanitária Estadual o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas; o Ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno; o Secretário Especial de Assuntos Fundiários, Luiz Antônio Nabhan Garcia; o Presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Já na esfera do Legislativo, foram flagrados os deputados federais Carla Zambelli, Cezinha de Madureira e Coronel Tadeu.

Os reincidentes poderão ser multados em até R$ 290,9 mil pelo estímulo e envolvimento em ações de risco à saúde pública - Bolsonaro, Tarcísio, Zambelli, Cezinha, e Coronel Tadeu foram flagrados anteriormente infringindo a lei durante manifestações em junho (confira histórico abaixo).

Cada um dos demais está sujeito à multa de R$ 552,71 por descumprimento da legislação que determina o uso da proteção facial em espaços públicos.

Os autos serão enviados via Correios para cada um e descrevem as normas previstas na lei, citando a necessidade da manutenção das medidas preventivas já conhecidas e preconizadas pelas autoridades sanitárias nacionais e internacionais, como uso de máscara e distanciamento social.

O uso de máscaras é obrigatório no Estado de São Paulo desde maio de 2020, conforme Decreto nº 64.959 e resolução SS 96. Além disso, o Código Sanitário estadual (lei 10.083/1998) especifica como circunstâncias agravantes para as infrações aquelas em que se verifica dolo, omissão e reincidência.

Histórico

No dia 25 de junho, o presidente e outras 15 autoridades desrespeitaram a norma em evento em Sorocaba: Jair Bolsonaro; Ministros da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes; das Comunicações, Fábio Faria; e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina; Senador Luis Carlos Heinze; deputados federais Eduardo Bolsonaro, Carla Zambelli, Caroline De Toni e Guilherme Muraro Derrite; Diretor Presidente do CEAGESP, Ricardo Mello Araújo; deputados estaduais Gil Diniz, Frederico D’Ávila, Danilo Balas; Secretário Municipal de Saúde de Sorocaba, Vinicius Rodrigues; vereador sorocabano Vinicius Aith; vereador de São Bernardo do Campo, Paulo Eduardo Lopes (conhecido como “Paulo Chuchu”).

Cinco delas já tinham infringido a legislação durante manifestação no dia 12 do mesmo mês, na Capital. Nessa data, a Vigilância Sanitária autuou dez autoridades incluindo o próprio Bolsonaro, o filho e deputado federal Eduardo ao lado de outros quatro integrantes da câmara federal - Carla Zambelli, Cezinha de Madureira, Coronel Tadeu e Hélio Lopes -; os Ministros Tarcísio e Marcos Pontes, o ex-Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, além do deputado estadual de SP, Gil Diniz.

Publicidade

Supermercado Godoy
Clínica Savi

Publicidade

Rede Sete Supermercado
JVR Segurança
Daiane Mazarin Estética

Governo de SP diz que operação de segurança deve custar mais de R$ 300 mil

A Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo divulgou na manhã de hoje o reforço no policiamento para a recepção ao presidente Jair Bolsonaro deve custar mais de R$ 300 mil aos cofres estaduais.

Segundo informa o governo de SP, a Polícia Militar montou um esquema especial de policiamento para garantir a segurança da população, a fluidez no trânsito e o direito à livre manifestação.

O efetivo foi reforçado com cerca de 450 policiais militares ao longo de todo o percurso do ato e, especialmente, nas áreas próximas ao ponto de concentração da manifestação.

Para garantir a segurança de todos, 426 policiais militares de batalhões territoriais da região do Comando de Policiamento do Interior – 8 (CPI-8, Presidente Prudente) e do 8º Baep atuaram ao longo do percurso, bem como 27 policiais militares do Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran), que originalmente atua na Capital, apoiaram as ações atinentes à segurança de tráfego e fiscalização. As ações foram monitoradas por policiais militares portando câmeras operacionais portáteis (COP), drones e pelo helicóptero Águia da região.

Publicidade

Tio Panda Adamantina

Publicidade

Insta do Siga Mais