Cidades

Família pede indenização de R$ 1,8 milhão após acidente com morte provocado por buraco no asfalto

Processo pede R$ 1,8 milhão do município pela responsabilidade civil no acidente.

Por: Da Redação | Com informações do Marília Notícia atualizado: 17 de fevereiro de 2020 | 10h07
Rua Nove de Julho, em Marília, local do acidente, que posteriormente teve buracos tapados (Reprodução/Marília Notícia). Rua Nove de Julho, em Marília, local do acidente, que posteriormente teve buracos tapados (Reprodução/Marília Notícia).

Depois de um acidente de trânsito ocorrido em 2017, em Marília, quando a professora de educação física Carla Priscila da Costa Ferreira, de 33 anos, morreu ao cair de moto após passar por um buraco na rua Nove de Julho, seus familiares (pais e irmãos) ingressaram na Justiça com uma ação de danos morais contra a Prefeitura da cidade.

Segundo o site Marília Notícia, o processo pede R$ 1,8 milhão do município pela responsabilidade civil no acidente que, segundo os autores, poderia ter sido evitado. De acordo com o portal, o inquérito instaurado pela Polícia Civil, para apurar as circunstâncias e eventuais responsabilidades do acidente, relacionou a queda da professora às condições do asfalto.

O caso ocorreu no dia 11 de fevereiro de 2017. Ao passar pelo buraco, a vítima foi arremessada em direção a um poste de iluminação pública e sofreu traumatismo craniano, não resistindo à gravidade dos ferimentos e morrendo no local. A Polícia Científica, com seus peritos, registrou as condições do asfalto, o que embasou o inquérito da Polícia Civil e apontou as irregularidades no pavimento. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Supermercado Godoy
Clínica Savi

Publicidade

Rede Sete Supermercado
Daiane Mazarin Estética
JVR Segurança

De acordo com o Marília Notícia, a ação é proposta por seis familiares da vítima (pais e irmãos), que requerem na Justiça a indenização. “Os requerentes pugnam pela condenação da requerida (Prefeitura) ao pagamento de indenização por danos morais – ante a perda absurda e irreparável de um ente querido, no importe de R$ 300 mil – para cada um deles – o que perfaz o montante de R$ 1,8 milhão”, dizem os autores. “Tal montante mostra-se suficiente para realizar uma digna e significativa compensação aos requerentes e, ao mesmo tempo, punir adequadamente a requerida por sua patente omissão, cujo fato resultou na morte estúpida de um familiar querido”, completam eles.

Segundo o Marília Notícia, a Prefeitura da cidade ainda não foi notificada sobre a ação.

Publicidade

Cinema
Clinica Lu Applim

Publicidade

Insta do Siga Mais