Cidades

Dono da fábrica de refrigerantes Dolly é preso

São apurados crimes de organização criminosa, fraude fiscal e lavagem de dinheiro.

Por: MPSP | Núcleo de Comunicação Social atualizado: 11 de maio de 2018 | 13h17
Um dos helicópteros apreendiso na operação que levou o dono da marca de refrigerantes Dolly à prisão (MPSP). Um dos helicópteros apreendiso na operação que levou o dono da marca de refrigerantes Dolly à prisão (MPSP).

Investigação conduzida pelo Grupo Especial de Delitos Econômico (Gedec) do Ministério Público do Estado de São Paulo resultou, nesta quinta-feira (10), na prisão de Larte Codonho, dono da marca de refrigerantes Dolly. O Procedimento Investigatório Criminal apura crimes de organização criminosa, fraude fiscal estruturada e lavagem de capitais cometidos na empresa.
Houve, a pedido do Ministério Público, decisão judicial proferida pelo Juízo da 4ª Vara Criminal de São Bernardo autorizando medidas cautelares de busca e apreensão, sequestro de bens, quebra do sigilo fiscal e bancário, além de prisões temporárias.
Há a notícia de ações cautelares ajuizadas pela Procuradoria-Geral do Estado e Procuradoria da Fazenda Nacional buscando, no âmbito fiscal, a recuperação de ativos de bens do grupo econômico mencionado, responsável por débitos fiscais bilionários já constituídos. Tais instituições, no âmbito de suas atribuições, atuam em cooperação buscando a apuração dos fatos e recuperação de ativos.
A operação está em curso, porém já foram apreendidos documentos de interesse da investigação, veículos, cumprida ordem de sequestro de helicópteros e efetuadas prisões temporárias.

Publicidade

Clinica Lu Applim

Publicidade

Youtube