Cidades

Construtora recebe vereadores e garante qualidade nas obras de casas populares

Construtora afirma que obras de casas populares não estão 100% concluídas.

Por: Da Redação atualizado: 26 de janeiro de 2020 | 10h17
Obras das casas populares no Parque Itamarati, denominadas Adamantina O, estão em conformidade, garante a construtora (Foto: Siga Mais). Obras das casas populares no Parque Itamarati, denominadas Adamantina O, estão em conformidade, garante a construtora (Foto: Siga Mais).

Depois da divulgação de fotos sobre a estrutura das 45 casas populares em construção no Parque Itamarati, denominado Adamantina O, nesta quarta-feira (22), uma representante da ECG Engenharia recebeu um grupo de cinco vereadores na manhã desta quinta-feira (23), no próprio empreendimento, e detalhou sobre os questionamentos levantados pelo vereador Alcio Ikeda na publicação que fez em suas redes sociais, também repercutidas pelo Siga Mais (reveja).

Em sua publicação, o vereador disponibilizou as imagens e relatou pontos em aparente desconformidade, com possíveis vazamentos e infiltrações. A divulgação repercutiu na cidade e a empresa rapidamente se prontificou a receber os representantes do poder legislativo e apresentar seus esclarecimentos.

Vereadores Aguinaldo Galvão, Paulo Cervelheira, Alcio Ikeda, João Davoli e Acácio Rocha, no Parque Itamarati (Foto: Cedida).

Na manhã desta quinta-feira estiveram no empreendimento os vereadores Aguinaldo Galvão, João Davoli e Paulo Cervelheira, integrantes da Comissão Permanente de Obras, Serviços Púbicos e Meio Ambiente, e Acácio Rocha e Alcio Ikeda, da Comissão Permanente de Constituição, Justiça e Redação. Ambas as comissões estão previstas na estrutura do poder legislativo adamantinense.

No local, os vereadores e a representante da empresa percorreram as moradias e puderam constatar as edificações em estágio final de conclusão e as obras de infraestrutura urbana.

Em relação dos problemas divulgados, sobretudo em torno de vazamentos e infiltrações pontuais, esse quadro já havia identificado em alguns imóveis. Segundo a representante da construtora, são decorrentes de duas hipóteses, o que depende das características visualizadas: podem ter origem no dispositivo de aquecimento solar de água, em conexões na tubulação da rede de água e até mesmo em telhas porventura quebradas ou sem o devido encaixe.

Nessas duas hipóteses, segundo a representante da empresa, o problema só pode ser identificado com a ligação da rede de água, o que foi realizado recentemente pela Sabesp  para avaliar todo o sistema instalado. Foi detalhado que o procedimento faz parte da etapa de verificação dessas instalações, dentro de um amplo checklist que envolve itens como redes de água, torneiras, válvulas sanitárias, iluminação, funcionamento de portas e janelas, entre outros aspectos, o que permite corrigir eventuais falhas e promover as decidas correções  para a entrega dos imóveis em total conformidade.

Conjunto Adamantina O, no Parque Itamarati: obras praticamente concluídas (Foto: Siga Mais).

A representante da construtora destacou que os imóveis ainda não estão 100% concluídos, e somente depois de realizada toda essa etapa de verificação, e constatada a conformidade, é acionada a área de engenharia da Caixa Federal que faz a vistoria e declara o imóvel apto. Depois disso, há ainda a verificação final feita pelo futuro morador do imóvel. Ele terá 30 dias após receber as chaves para apontar eventuais problemas, que porventura serão reparados pela construtora.

Ainda, segundo a representante da empresa, não há qualquer problema estrutural que comprometa a qualidade da obra e a segurança das edificações, que seguem projeto de engenharia e padrões construtivos certificados.

A representante da empresa não tem qualquer informação sobre prazo de entrega das casas e sorteio das chaves aos moradores, o que depende exclusivamente dos trâmites da Caixa Federal.

Após a visita, o vereador Alcio Ikeda revelou que deverá relatar o caso à Caixa Federal, para que o órgão tenha ciência dos apontamentos. (Continua após a publicidade...)

Publicidade

Tio Panda Adamantina
Supermercado Godoy
Clínica Savi

Publicidade

Haddad
Daiane Mazarin Estética
Dra Maria Gabriela Tiveron
JVR Segurança
Rede Sete Supermercado

99 casas

Em Adamantina, são 99 casas em construção, cujo prazo de entrega já expirou. A última previsão dada pelo governo federal era de que as obras seriam finalizadas neste mês de janeiro, conforme publicou o Siga Mais em 10 de setembro do ano passado. O mês está quase terminando, sem qualquer nova previsão.

As 99 casas estão distribuídas em dois empreendimentos. No Adamantina N (Conjunto Mário Covas), são 54 casas em construção – praticamente concluídas – restando as obras de infraestrutura urbana, como asfalto, guia/sarjeta, calçadas e redes de água, esgoto e iluminação. Desde o final do ano passado estão sem qualquer evolução.

Obras no conjunto Adamantina N, no Mário Covas, estão mais atrasadas: falta asfalto, guias, sarjetas e as redes de água, esgoto e iluminação (Foto: Siga Mais).

Segundo a placa oficial existente no local, as obras foram iniciadas em 22 de maio de 2018 com previsão inicial de conclusão em 22 de agosto de 2019. O empreendimento tem valor total de R$ 5.374.962,90.

O segundo conjunto Adamantina O envolve a construção de 45 unidades, no Parque Itamarati. De acordo com a placa oficial no local, as obras foram iniciadas em 7 de fevereiro de 2018 com previsão inicial de conclusão em 7 de maio do ano passado, ao custo total de R$ 4.499.166,37. As obras de edificação dos imóveis e infraestrutura pública como asfalto, guia/sarjeta, calçadas e redes de água, esgoto e iluminação estão praticamente concluídas.

As 99 casas foram sorteadas em abril do ano passado pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) em Adamantina e os contemplados têm suas documentações submetidas a análise pelo órgão. Ainda não há previsão de inauguração dos empreendimentos e entrega das casas.

Publicidade

Clinica Lu Applim
Cinema

Publicidade

Insta do Siga Mais