Sociedade

Será que estou sofrendo de abuso psicológico?

Quem é o abusador e quem é o abusado?

Débora Nazari | Cientista social, jornalista, escritora e adamantinense | nazaridebora@gmail.com Colunista
Débora Nazari | Cientista social, jornalista, escritora e adamantinense | nazaridebora@gmail.com
(Imagem: Malicki M Beser/Unsplash). (Imagem: Malicki M Beser/Unsplash).

Quem está acompanhando a internet esses dias tem visto muitas postagens sobre abuso psicológico. Esse tema surgiu já que grande parte da população brasileira está assistindo o reality show Big Brother Brasil que mal estreou há poucas semanas e está dando o que falar nas redes socias.

Independente do #team que você torce, se curte ou não a galera da Pipoca ou do Camarote, temos de lembrar que todos estamos expostos no mundo real e digital sem nem precisar de uma câmera para isso. Em mais um ano em que o Brasil não é para os fracos, tenho notado um crescimento da cultura do ódio e da banalização de causas, daquelas que você passa a se questionar “Se todo mundo fala/faz isso, será que o errado sou eu?”. Cá entre nós, lido e creio com a máxima de que o brasileiro acorda bom, mas a internet o corrompe.

Por que será que o tema do abuso psicológico está tão em alta? Era para ser mais um programa de entretenimento, mas nem todos os estudos de comportamento antropológico estão dando conta de entender o que se passa naquela fração de representação de nós brasileiros. O abuso psicológico ocorre quando há o exercício do poder do abusador sobre o abusado de maneira perversa, principalmente por via de ameaça. Todo mundo já viu essa cena na novela, em que a personagem usa aquelas frases do tipo “não foi isso que aconteceu”, “você está inventando coisas”, “acho que você exagerou”, ou seja, aquelas falas que plantam a dúvida na cabeça do abusado.

Essas cenas são todas da vida real, não precisa ligar no BBB, basta observar entes da sua família, escutar a conversa do vizinho, ver as interações sociais no trabalho e por aí vai. Quem aqui nunca sofreu pelo exercício do poder de um outro? Os ambientes são diferentes, pode ser uma ameaça de perder o emprego ou ameaça de perder uma relação amorosa. A lista é grande, o abusador tenta se livrar constantemente da culpa e deturpa as percepções de quem realmente sofre, tudo isso gera mal estar, tristeza, mágoa, humilhação, depressão e autossabotagem.  

E nós seres humanos nos sabotamos todos os dias, nos prejudicamos e nos arrastamos em situações por muito tempo, tudo por medo, seja de um problema de saúde, ou de sair de uma zona de conforto ou de tomar as rédeas da vida. Muitas pessoas passam anos sofrendo abuso psicológico, pode ser porque a vítima já está fragilizada, insegura ou traumatizada, então os gatinhos do abusador fazem com que a pessoa caia numa espiral de desespero.

Somos todos seres vulneráveis, mas está faltando respeito e cuidado em proporções já sem medidas. Mais do que criticar o coleguinha, apontar o dedo ou pedir pra cancelar, precisamos acabar com as humilhações. Existem coisas que estão virando espetáculo e não deveriam e como bem sabemos é muito difícil recuperar algo que já está tão fragilizado. Pare e pense ser humano, você não vai ficar neste planeta para sempre, mas suas atitudes podem repercutir por longos anos e muitas gerações.

Publicidade

Insta do Siga Mais