Memória

Um pouco sobre a Ordem Maçônica de Adamantina

Um breve relato sobre a história da Ordem Maçônica e sua trajetória em Adamantina.

Tiago Rafael Colunista
Tiago Rafael
Obreiros da Loja Maçônica Estrela de Adamantina, na comemoraçao dos 70 anos de fundação (Foto: Cedida). Obreiros da Loja Maçônica Estrela de Adamantina, na comemoraçao dos 70 anos de fundação (Foto: Cedida).

 “A Maçonaria é a mais bela das instituições, ela consegue ensinar filosofia em um mundo onde a ignorância está se tornando virtude !”

Tales Júnior

* * *

Dando uma breve folheada pelas páginas de alguns livros um tópico me chamou à atenção, este tratava acerca da fundação da Loja Maçônica Estrela de Adamantina. Pois bem, muito se fala sobre a ordem maçônica, tanto de forma positiva, como negativa. No entanto, pouco se conhece sobre a sua história.

Vejamos alguns pontos: O termo maçon vem do francês e significa “pedreiro” (daí o uso de diversos símbolos ligados a tal ofício, como o esquadro e o compasso). Surgidos em meio à Idade Média, os maçons, se reuniam numa espécie de organização com regras próprias, as chamadas “corporações de ofício” (mas, há de se ressaltar que alguns historiadores apontam tempos mais antigos). Assim, guardavam para si o “segredo” da profissão, uma forma de monopolizar o saber e as técnicas adquiridas. Cabe ressaltar que não existiam apenas corporações de pedreiros, mas também alfaiates, sapateiros, latoeiros, etc.

Sessão branca, comemorativa aos 70 anos de fundação da Loja Maçônica Estrela de Adamantina (Fotos: Cedidas). 

Pelo fato de estarem em constantes viagens à trabalho, os maçons, diferentes dos servos, possuíam uma maior liberdade de trânsito nos diferentes locais por onde passavam. Dessa forma, também acabavam entrando em contato com outros maçons e se reconheciam por meio de senhas, ajudando-se assim mutuamente, constituindo assim, uma espécie de fraternidade.

Após a Idade Média, a maçonaria passou a aceitar membros que não eram ligados à construção, e acabou transformando-se em uma fraternidade dedicada ao “livre pensar”. Posicionando-se em diversos momentos da história contra qualquer espécie de fanatismo, ignorância e preconceito, ou mesmo absolutismo.

Há menções à Ordem Maçônica em diversos momentos da história do Brasil, como: Inconfidência Mineira, Revolução Pernambucana, Confederação do Equador, Independência do Brasil, Proclamação da República, etc. Por aqui, a terrinha também conta com tal instituição em sua história.

Templo da Loja Maçônica Estrela (Foto: Siga Mais). 

A primeira Loja (do termo Lodge) a ser fundada em Adamantina, foi a Loja Estrela de Adamantina. Esta iniciou suas atividades em 24 de junho de 1949. Em uma residência situada à antiga Alameda Adolfo Pinto s/n, reuniram-se os seguintes maçons: Miguel Furnier Garcia, Antonio Ernesto Michelin, José Ramos Ortiz, José Clementino de Paula, Levy Adas, João de Almeida Filho, Antônio Ribeiro de Souza, Antonio Massaferro, Diógenes de Paoli, Jovelino Moraes de Camargo, Moysés Justino da Silva, Elias Esber Haddad, Fioravante Spósito, Hermínio Brighenti, Renato Bergonzini, Walter Justino de Sá e Antonio Santana.

Inauguração do moumento comemorativo aos 50 anos da Loja Maçônica Estrela, em 1999 (Arquivo/Diário do Oeste).

Comemoração dos 50 anos, com ex-Veneráveis da Loja Maçônica Estrela, em 1999 (Arquivo/Diário do Oeste).

Dessa forma, escolheram o nome de Estrela de Adamantina e compuseram a sua diretoria na seguinte conformidade: Venerável Mestre - Moysés Justino da Silva, Primeiro Vigilante - Renato Bergonzini, Segundo Vigilante - Diógenes de Paoli, Orador - Jovelino Moraes de Camargo, Secretário - Walter Justino de Sá, Tesoureiro – Fioravante Spósito, Chanceler - Antônio Ribeiro de Souza, Mestre de Cerimônias - Hermínio Brighenti, Hospitaleiro - Antonio Massaferro e Cobridor - Elias Esber Haddad. Destaque-se que, alguns membros que compuseram a reunião de sua fundação, integravam lojas das cidades de Pompéia e Lucélia.

Após a sua fundação, a Loja Estrela de Adamantina, funcionou durante algum tempo na garagem do Sr. Renato Bergonzini, onde fora fundada, passando posteriormente a ocupar um  imóvel na Alameda Armando Salles de Oliveira, 736, (próximo ao atual prédio da Telesp). O templo tal como o conhecemos hoje, na Avenida Cunha Bueno, foi inaugurado em 15 de novembro de 1956.

Ao lado dos membros do Executivo e Legislativo local, a Loja Estrela de Adamantina, atuou em diversas ocasiões em prol da elevação de Adamantina a categoria de Comarca, na década de 1950. Alguns membros chegaram a compor as Caravanas que se deslocavam até a Capital para tal propósito, além de outros feitos junto às esferas estadual e federal em prol da terrinha.

Sessão branca, comemorativa aos 70 anos de fundação da Loja Maçônica Estrela de Adamantina (Fotos: Cedidas). 

Atentemos ao fato de que, além da Loja Maçônica Estrela de Adamantina, a terrinha ainda conta com mais outras três Lojas, a saber: Loja Cavaleiros do 3º Milênio, Loja Architectus da Luz e Acácia de Adamantina. Outras instituições que aqui também existem e derivam da Ordem Maçônica são: A Ordem Demolay (fundada pela referida Loja) e a Ordem dos Escudeiros da Távola (fundada pela referida Ordem Demolay). Ambas destinadas ao aprimoramento dos jovens em seus âmbitos, familiar, escolar, religioso, social e patriótico.

Enfim, no ano de seu Jubileu de Vinho (70 anos), cabe a memória e a lembrança por aqueles que um dia sonharam em trazer para cá os laços fraternos da Arte Real. A estes a nossa Justa e Perfeita homenagem.

Tiago Rafael dos Santos Alves

Professor, Historiador e Gestor Ambiental

Membro Correspondente da ACL

Publicidade

Cinema
Clinica Lu Applim

Publicidade

Insta do Siga Mais