Memória

Um pouco da história dos sinos e do relógio da Igreja Matriz de Santo Antônio

Um breve relato sobre os sinos e o relógio da Igreja Matriz de Santo Antônio

Tiago Rafael | Professor, historiador e gestor ambiental Colunista
Tiago Rafael | Professor, historiador e gestor ambiental
Galo no alto da torre da Igreja Matriz de Santo Antônio, em Adamantina (Foto: Tiago Rafael).. Galo no alto da torre da Igreja Matriz de Santo Antônio, em Adamantina (Foto: Tiago Rafael)..

Nos últimos dias, em meio a uma foto e outra, acabei me dando conta de algumas peripécias de alguns anos atrás. Há exatamente 3 anos atrás, mais precisamente em 13 de outubro de 2017, acabei me aventurando pelas alturas da torre da Igreja Matriz de Santo Antônio. Algo que sempre quis fazer.

(Acervo Pessoal)

(Acervo Pessoal)

Me recordo que, já havia feito o pedido previamente a um dos funcionários, o qual fui atendido prontamente. Afinal, sempre quis ver o tão famoso “galo” de perto e os “sinos” que tanto ouvimos nos horários das celebrações e afins.

Acerca do “galo”, me recordo que já escrevi por aqui e não entrarei em detalhes sobre ele (reveja). No entanto, existem inúmeros pontos acerca dos objetos que compõem tal Igreja que são bem interessantes e merecem ser apresentados.

(Acervo Pessoal)

Acredito que muitos, nos dias atuais, se perguntem como tamanha obra fora construída nas décadas de 1950 e 1960. Pois bem, inúmeras foram as campanhas feitas pela Comunidade Católica local, para aquisição dos vitrais, revestimentos, bancos, etc. No entanto, em minhas buscas e conversas aqui e ali, aliada a algumas constatações in loco, identificamos alguns dos doadores dos sinos e do próprio relógio da Igreja Matriz.

Como já relatado em outrora, o início das obras se deu em meados da década de 1950, como relata o prof. Cândido e em novembro de 1958, o relógio da Igreja Matriz de Santo Antônio, fora inaugurado, destacando que este foi uma doação da Prefeitura Municipal.

(Arquivo Histórico Municipal) 

(Acervo: Faraday Zanandréa)

(Arquivo Histórico Municipal) 

(Arquivo Histórico Municipal) 

(Acervo Pessoal)

Por outro lado, como se vê nas fotos, tal torre possui 3 sinos, que foram instalados nos anos posteriores, mais precisamente em 19 de julho de 1964. O maior deles (com cerca de 500kg), fora doado pelo Sr. Antônio Tiveron. Já os dois médios, um tratou-se de uma doação do Sr. Bráulio Molina e família e o outro novamente de uma doação da Prefeitura Municipal.

(Acervo Pessoal)

(Acervo Pessoal)

(Acervo Pessoal)

Com o passar do tempo, a Igreja Matriz de Santo Antônio passou por inúmeras reformas, pinturas (internas e externas), troca de telhado, limpeza do galo, troca do mostrador do relógio, etc. no entanto, sua arquitetura, seu estilo e sua exuberância ainda permanecem inalteradas (ah... e os sinos também!).

(Acervo Pessoal)

Enfim, nesta e noutras terrinhas, inúmeros são os personagens que contribuem para que esta e aquela obra, de fato, saiam do papel. Outros textos, poderão detalhar melhor como isso ocorreu. No entanto, por aqui e por hora, cabe ao menos mencionar brevemente, como tudo isso um dia ocorreu, mediante aquilo que vi naquele momento.

(Acervo Pessoal)

Tiago Rafael dos Santos Alves

Professor, Historiador e Gestor Ambiental

Membro Correspondente da ACL e da AMLJF

Publicidade

Tio Panda Adamantina

Publicidade

Insta do Siga Mais
Cinema