Memória

Pandemia, tecnologia e interações sociais – Estamos evoluindo ou involuindo?

Um breve relato sobre algumas inovações tecnológicas em meio aos atuais tempos de pandemia.

Tiago Rafael | Professor, historiador e gestor ambiental Colunista
Tiago Rafael | Professor, historiador e gestor ambiental
Pandemia, tecnologia e interações sociais – Estamos evoluindo ou involuindo?

“Eu temo o dia em que a tecnologia ultrapassar a interatividade humana. O mundo terá uma geração de idiotas.”

Albert Einstein

* * *

Recentemente, dando uma olhada em alguns artigos e livros de minha época da graduação, eis que me deparo com um exemplar de “Uma História Social da Mídia – De Guttemberg à Internet”, um livro de dois grandes historiadores ingleses, Asa Briggs e Peter Burke, um presente do meu caro amigo jornalista Sebar, em 2009.

Pois bem, a obra traz uma análise dos meios de comunicação ao longo do tempo, como o próprio título já denota, desde a invenção da prensa de Guttemberg ao advento da internet. No entanto, o que me chamou a atenção em meio a uma nova leitura deste livro, consiste no quanto “evoluímos tecnologicamente” a partir de sua primeira edição em 2000.

E claro, isso se relaciona ao que já escrevi por aqui, nos últimos textos, sobre o sistema de telefonia, locadoras de fitas K-7 e DVDs, lojas de LPs, K-7 e CDs, e mais recentemente com os anúncios publicitários divulgados nos jornais e similares da terrinha. Basta dar uma breve olhadinha!

Nesse sentido, e em tempos de pandemia, cabe destacar o quanto estamos avançando em relação à tecnologia que nos rodeia. Vejam as aulas, as reuniões desta ou daquela empresa, os cultos religiosos, os shows (lives). Ou seja, em um ano ampliamos vertiginosamente o nosso acesso e utilização dos recursos tecnológicos. E claro, como comentado, isso tem aumentado muito em virtude da pandemia.

E com isso, reduzimos as nossas interações sociais habituais. O brincar das crianças, o ir à escola, a conversa de portão ou esquina, os cafés da manhã nas padarias, a compra do jornal de manhãzinha, a ida a esta ou aquela loja etc.

Em meio a este “novo normal”, mudamos! E isso não é nenhuma novidade! No entanto, me pergunto: Como seremos depois dele? Talvez, nós ainda não tenhamos a resposta! Mas vale a reflexão! Estamos evoluindo ou involuindo?

Tiago Rafael dos Santos Alves

Professor, historiador e gestor ambiental

Membro correspondente da ACL e AMLJF

Publicidade

Tio Panda Adamantina

Publicidade

Cinema
Insta do Siga Mais