Memória

O Serviço Postal de Adamantina

Um curto relato sobre os primórdios do serviço postal em Adamantina.

Tiago Rafael Colunista
Tiago Rafael
Agência inaugurada em 1948, na atual alameda Armando de Salles Oliveira (Livro Jubileu de Ouro de Adamantina/Cândido Jorge de Lima) Agência inaugurada em 1948, na atual alameda Armando de Salles Oliveira (Livro Jubileu de Ouro de Adamantina/Cândido Jorge de Lima)

 “O tempo é carteiro da vida, leva e trás lembranças que jaziam esquecidas.”

Cláudio Martins

***

Aos amigos da Agência dos Correios de Adamantina-SP dedico!

***

Em tempos de pós-globalização, sabemos que graças ao avanço dos meios de transportes e comunicação, muitas coisas que usavámos no passado acabaram ficando por lá. Um belo exemplo disso são as cartas, tema de outro artigo (reveja aqui). Mesmo, assim acabei me perguntando como tudo isso foi um dia organizado aqui na terrinha.

Pois bem, em meados da década de 1940 os serviços postais eram executados por uma agência na cidade de Lucélia. Aqui por sua vez, existia de forma improvisada, em uma casinha de madeira uma espécie de correio particular, de propriedade do Sr. João Lissoni Neto. As correspondências trazidas de Lucélia, eram ali depositadas e organizadas em armários e escaninhos próprios de cada morador. Tal iniciativa era mantida pelo comércio local.

1947: Agência postal particular (Livro Jubileu de Ouro de Adamantina/Cândido Jorge de Lima).

Em 12 de dezembro de 1948, se dá a instalação da primeira Agência Postal da cidade. Construída por uma iniciativa e apoio dos moradores locais, esta funcionou durante muito tempo na Alameda Armando Salles de Oliveira, 612.

No início, os malotes chegavam à cidade de ônibus (devemos nos lembrar que por aqui o ônibus antecedeu o trem) e posteriormente via estrada de ferro. O Prof. Cândido relata que “os malotes, eram transportados até o correio pelos condutores com carrinho de mão e com veículos de tração animal”. Assim, posteriormente eram realizadas as entregas à pé pelo carteiros.

Condutor de carroça aguardava a chegada do trem para retirar os malotes de correspondências e jornias (Livro Jubileu de Ouro de Adamantina/Cândido Jorge de Lima).

Em meados da década de 1960 é instalado o serviço telegráfico. E em anos posteriores, iniciada a construção de um novo prédio, para abrigar a agência dos Correios. Fato este que, somente depois muitas lutas, fora concretizado em 1998, estando desde então a Agência local dos Correios ali instalada.

Atual agênica dos Correios, reinaugrada em 1998, na Rua Deputado Salles Filho (Livro Jubileu de Ouro de Adamantina/Cândido Jorge de Lima).

Assim, em tempos de pós-globalização na terrinha, ficam as recordações da antiga agência dos Correios e de como um dia tal serviço já fora realizado por aqui. A nós, cabe a singela tarefa de ao menos contar como tudo isso um dia já ocorreu.

Tiago Rafael dos Santos Alves é professor e historiador. Acesse aqui seu perfil.

Publicidade

Cinema
Clinica Lu Applim

Publicidade

Insta do Siga Mais