Memória

Luz, câmera e ação! Relembrando os cinemas adamantinenses

Um pouco das lembranças dos cinemas de Adamantina.

Tiago Rafael Colunista
Tiago Rafael
Cine Santo Antônio, inaugurado em 17 de dezembro de 1954, um dos maiores da região, na época, com capacidade para 2,5 mil pessoas (Arquivo). Cine Santo Antônio, inaugurado em 17 de dezembro de 1954, um dos maiores da região, na época, com capacidade para 2,5 mil pessoas (Arquivo).

“O cinema é um modo divino de contar a vida.”

Federico Fellini 

Aos que se dedicam à cultura, dedico!

* * *

Nos últimos dias a terrinha vivenciou (e está vivenciando)  a desenfreada corrida pelos primeiros ingressos do tão aguardado “Vingadores – Ultimato”. Dando uma passadinha pela Avenida Adhemar de Barros, acabei me deparando com filas que chegaram a dobrar a agência do Banco do Brasil. Isso me fez recordar as grandes bilheterias que um dia já passaram pelo “extinto” Cine Santo Antônio e alguns fatos que já permearam a história cinetográfica da terrinha.

Segundo relatos do Prof. Cândido Jorge de Lima, por aqui, o cinema antecedeu até mesmo a criação do município. Em 1948, o Sr. Ângelo Francisco Zonta, inaugurou o primeiro cinema de Adamantina, que por sinal levou o nome da cidade, “Cine Adamantina”. Anos mais tarde, mais precisamente em 17 de dezembro de 1954, é inaugurado o Cine Santo Antônio, tido na época como um dos mais luxuosos da região. Contava com cerca de 1200 lugares e com um das maiores telas cinematográficas do Estado, além de possuir uma área especial na parte superior, o famoso “Pullman”.

Em 1948,  Ângelo Francisco Zonta (abaixo) inaugurou o primeiro cinema da cidade (acima), que recebeu o nome de Cine Adamantina (Reprodução: Livro Reviver Adamantina/João Carlos Rodrigues).

Na terrinha, o hábito de ir ao cinema era fato comum entre os municípes, e é claro que muitos até se lembrarão da música que fazia a abertura dos filmes e do cheirinho inconfundível da pipoca de lá. No entanto, com o advento das fitas VHS e posteriormente dos DVD’s e Blu-Ray’s, tal hábito foi diminuindo. Sendo esta uma das causas do fechamento do Cine Santo, aliado ao alto custo de manutenção do prédio, exibição e repasse às companhias cinematográficas.

Após alguns anos fechado, em 17 de dezembro de 1994, a Associação Amigos da Cultura, reativou o Cine Santo Antônio. Em meio a tal período, diversas foram as exibições que tive o prazer de presenciar, dentre elas: Titanic, O Rei Leão, Ninguém segura esse bebê, O Menino Maluquinho, A Paixão de Cristo, entre tantos outros. Muitas delas, em parcerias com as escolas municipais e estaduais.

Área interna do Cine Santo Antônio, em 2016 (Foto: Acácio Rocha/Siga Mais).

Área interna do Cine Santo Antônio, em 2016 (Foto: Acácio Rocha/Siga Mais).

Área interna do Cine Santo Antônio, em 2016 (Foto: Acácio Rocha/Siga Mais).

Infelizmente, como se sabe, o Cine Santo Antônio fechou as portas de vez. Dele, apenas o prédio resta no lugar. Mas, felizmente a terrinha ainda conta com um Cinema, de propriedade do do amigo Cacá Haddad. Sobre o Cine Santo Antônio, fica a cobrança pela “morosidade” em se resolver tal questão. Quanto ao filme “Vingadores – Ultimato, como diria o caro jornalista Sérgio Barbosa: “Quem pegou fila e comprou ingresso, vai ver!”

Tiago Rafael dos Santos Alves é historiador. Acesse aqui seu perfil.

Publicidade

Clinica Lu Applim
Cinema

Publicidade

Youtube