Memória

Crônicas de outrora: O Alto Falante – A voz de Adamantina

Um breve relato sobre o Alto Falante – A voz de Adamantina, a partir dos relatos do Sr. Francisco Dário Toffoli.

Tiago Rafael | Professor, historiador e gestor ambiental Colunista
Tiago Rafael | Professor, historiador e gestor ambiental
(Ilustração). (Ilustração).

"A função do historiador é lembrar a sociedade daquilo que ela quer esquecer".

Peter Burke

* * *

Recentemente temos visto como os meios de comunicação foram e estão evoluindo a todo momento. E sobre isso já escrevi por aqui e ali. Em especial, acho interessante como o Jornal, o Rádio e a TV ainda permanecem na atualidade, cada qual com as suas particularidades próprias!

E isso me fez lembrar que em outros momentos, já escrevi por aqui sobre a história da Rádio Brasil (Reveja aqui), no entanto mencionei brevemente que “antes” dela tal serviço era realizado por meio de alto-falantes. E novamente dando uma folheada na Crônica Histórica do Sr. Francisco Dário Toffoli, acabei encontrando um belo relato sobre isso.

Assim relata o Sr. Francisco:

 

Adamantina estava crescendo, já se fazia necessário um ALTO FALANTE para levar ao ar programas de propagandas – músicas e outras coisas atinentes ao progresso. Dois cidadãos – Sylvio Zampieri e Euclydes Maranha o instalaram: Primeiramente aí ao lado da sorveteria do Sr. Harada[1], depois tendo eles adquirido melhores aparelhos, solicitaram minha permissão para o instalarem no meu terreno que fica no número 470. Eles construíram nos fundos do lote um quiosque, no qual colocaram o aparelho, de onde todos os dias transmitiam bons programas – informativos intercalados com aprazíveis músicas e suas dedicatórias. O Alto Falante tinha a denominação de “A VOZ DE ADAMANTINA”. (1978, p.28) (Grifo nosso)

 

E continua:

 

Por incentivo da Professora – ANA ROMERO TERUEL o Sr. Francisco Dário Toffoli, tendo obtido autorização do proprietário, Sr. Divino Clemêncio da Silva (o qual se tornou legítimo dono) introduziu o Programa “HORA DO ANGELUS” – AVE MARIA, no horário das 18 horas de cada domingo. (Idem) (Grifo nosso)

 

No entanto, conforme já relatado em outrora, nos anos posteriores seria criada a Rádio Brasil, e sobre isso o Sr. Francisco comenta:

 

[...] O Sr. Divino Clemêncio da Silva, que adquiriu o Alto Falante, continuou ainda por muito tempo até que o Deputado Pedroso Junior instalou a Rádio Brasil de Adamantina. (Idem)

 

E continua:

 

Tendo cessado o ALTO FALANTE - A VOZ DE ADAMANTINA, o Sr. Toffoli passou para a Rádio Brasil o PROGRAMA A HORA DO ANGELUS – AVE MARIA, que continuou sendo feito não somente aos domingos, mas sim, todos os dias às 18 horas, com duração de 15 minutos. (Idem)

 

Enfim, assim é a história, a cada nova fonte, registro ou relato, vários pontos passam a serem melhores analisados, problematizados e disponibilizados aos demais. Por aqui, coube novamente “a história, a curiosidade e a memória” da terrinha de outrora, pelas linhas do Sr. Francisco Dário Toffolli.

 

Tiago Rafael dos Santos Alves

Professor, historiador e gestor ambiental

Membro correspondente da ACL e AMLJF



[1] Na altura do número 485 da Av. Capitão José Antônio de Oliveira.

Publicidade

Tio Panda Adamantina

Publicidade

Cinema
Insta do Siga Mais