Memória

Crônicas de outrora: Kiyoshi Takahashi

Uma breve relato sobre o meu saudoso amigo Kiyoshi Takahashi.

Tiago Rafael Colunista
Tiago Rafael
Crônicas de outrora: Kiyoshi Takahashi

A Kiyoshi Takahashi (in memoriam)

* * *

“A amizade é como os títulos honoríficos: quanto mais velha, mais preciosa.”

Johann Goethe

* * *

Em meio aos atuais tempos obscuros pós-coronavirais, entre churrascos, pandemias e chiliques daqui e dali, aparentemente parece tudo normal do lado de lá, mas (contudo, entretanto e todavia) a figura de linguagem é regra por aqui! E como diria Sebar, neste e naquele tempo do tempo: “Quem estudou, vai saber!” No entanto, sigamos...

Nesta última semana uma notícia da terrinha, em especial, me deixou profundamente triste. A partida do meu querido amigo, Sr. Kiyoshi Takahashi. Para quem não se lembra, durante muito tempo, ele fora proprietário da Cherry Sorvetes, localizada em frente ao Paço Municipal, em meio as lojas do dito Centro Empresarial.

Nos idos de 2001, quando comecei a trabalhar em uma das lojas ao lado de sua sorveteria,  logo comecei a frequentar tal espaço, pois alguns de seus funcionários eram meus amigos. Cabe ressaltar que, nem sempre eu tinha dinheiro para adquirir os sorvetes, mas de pronto, tal problema fora resolvido pelo Sr. Kiyoshi com uma “conta mensal” (Foi um dos primeiros a me abrir uma conta na cidade!).

Dessa forma, em algumas tardes era algo comum ir buscar aquela casquinha com uma bola se sorvete de iogurte, que só o Sr. Kiyoshi sabia fazer. E no decorrer de um sorvete e outro, conversamos frequentemente durante um bom tempo (até alguém do meu trabalho me chamar ou o papo se esgotar!). Ele com aquela paciência oriental e eu imaginando quando teria toda aquela sabedoria.

O tempo passou e eu troquei de emprego, mas nunca deixei de frequentar a tal espaço e ir lá bater um papo com o meu querido amigo (e claro, toda a sua família!). E assim, os anos passaram... A Cherry Sorvetes, passou para as mãos de outro proprietário e confesso que, deixei de frequentá-la. Não pelo local e nem pelos sorvetes, que por sinal ainda continuam maravilhosos, mas pela companhia do meu saudoso amigo! Recentemente, eram raras as vezes que eu o via por aqui ou ali na cidade, mas sempre que podíamos “jogávamos conversa fora”!

Enfim, a todos nós que o conhecemos, restará a saudade e ao mesmo tempo a honra de tê-lo conhecido! Tenha certeza, meu amigo, que na história da terrinha, você registrou as suas linhas de forma majestosa! Ave Kiyoshi Takahashi!

Tiago Rafael dos Santos Alves

Professor, Historiador e Gestor Ambiental

Membro Correspondente da ACL e AMLJF

tiagorsalves@gmail.com

Publicidade

Cinema
Clinica Lu Applim

Publicidade

Insta do Siga Mais