Crônicas Provincianas

Uma “janela” mais ou menos e ponto quase final...

A capacidade do olhar diante dos diferentes cenários do cotidiano.

Sérgio Barbosa | Jornalista diplomado e professor universitário | sebar@uol.com.br Colunista
Sérgio Barbosa | Jornalista diplomado e professor universitário | sebar@uol.com.br
Uma “janela” mais ou menos e ponto quase final...

“Descobri uma lei sublime, a lei da equivalência das janelas, e estabeleci que o modo de compensar uma janela fechada é abrir outra, a fim de que a moral possa arejar continuamente a consciência.” (Memórias Póstumas de Brás Cubas/Assis, Machado)

Faz uns dois anos ou mais que fizemos uma reforma quase que geral aqui em casa, pode-se dizer que ficou “meia boca” no acabamento final por causa das lambanças do pedreiro e sua turma de aloprados...

Mesmo assim, de um jeito ou de outro, atendeu as necessidades daquele tempo em termos de estrutura mais pra menos do que pra mais, mesmo assim, sempre existe um “por que” disto ou daquilo...

Também, ficar repensando que a tal reforma poderia ter sido diferente nisto ou naquilo, mas, como sempre a conclusão é quase a mesma, ou seja, “agora não adiante reclamar” e vamos que vamos...

Em outra oportunidade, pretendo voltar a escrever sobre esses meses de reforma aqui em casa, pois foram muitos desencontros que ocorreram nesta “reforma residencial”...

Mas, voltando ao tema deste texto, ou seja, “UMA JANELA...”, pode-se pensar aqui e ali que de um jeito ou de outro, o tal do “detalhe” pode estar nos olhos de quem quer ver ou não, depende sempre de cada olhar sobre o outro lado...

Mas, depois das tais reformas que foram executadas aqui em casa, ficamos com três salas com a seguinte proposta, SALA DE TV, SALA DE LEITURA e uma SALA DE ENTRADA DA CASA...

Ocorre que neste espaço reservado como SALA DE ENTRADA era em um outro tempo uma “cozinha”, além de uma janela que abria para um corredor, também, existia e ainda existe uma “JANELA REDONDA” pro lado da “área externa da casa”...

Sendo assim, outro dia olhando aqui e ali, percebi este detalhe mais do que interessante que é esta JANELA REDONDA, não sei o que levou dos antigos donos a fazerem tal opção com este formato, porém, posso registrar que de acordo com o meu “olhar” até que ficou diferente tal proposta...

Como escrevi acima, DETALHES SÃO DETALHES e depende sempre de cada olhar para um desencontro além deste tempo do tempo, todavia, acredito que sempre se podem perceber outros detalhes aqui e ali...

Por exemplo, olhando de dentro pra fora pela JANELA REDONDA à visão é uma e limitada pelo formato, de lado, pode ser outro olhar e assim por diante, isso sem dizer que o interessante é ficar olhando “de fora pra dentro” e tudo pode ficar mais do que interessante...

Existem muitas possiblidades para que este OLHAR para um simples JANELA possa fazer a diferença em meio aos ocasos de um talvez e ponto quase final, porém, entendo que tudo pode se resumir no “detalhe” em meio ao tudo que pode ser um nada ao mesmo tempo do tempo...

Todavia, esta JANELA REDONDA será trocada por outra mais de acordo com o visual desta SALA, porém, resolvi deixar registrado aqui este “detalhe” que vai se perder quando a mesma for retirada da parece e com certeza terá um fim nada interessante depois de anos e anos servindo o visual da casa...

QUEM CONHECEU VAI SABER...