Crônicas Provincianas

Desencontros com a literatura brasileira na Província...

Nova leitura aos clássicos e um novo olhar sobre as obras literárias.

Sérgio Barbosa | Jornalista diplomado e professor universitário | barbosa.sebar@gmail.com Colunista
Sérgio Barbosa | Jornalista diplomado e professor universitário | barbosa.sebar@gmail.com
(Imagem: Pixabay). (Imagem: Pixabay).

“Se a única coisa que de o homem terá certeza é a morte; a única certeza do brasileiro é o carnaval no próximo ano.” ( Graciliano Ramos)

Para profa. MAURA e prof. LUCIANO (in memoriam), dedico!

Neste tempo novo tempo do meu novo tempo novo, ainda, considerando todos os desencontros mediados pelos problemas que ocorreram em 2.017 e estando de “Licença Médica” até abril de 2.019, pode-se correr deste ou do outro lado de um mesmo lado...

Pra não ficar entre NETFLIX E YOUTUBE nestes dias sem mais e sem menos, resolvi, também, voltar às leituras sobre temas diversos e autores diferenciados, entretanto, pensei aqui e ali, porque não voltar a ler os denominados autores/as clássicos da Literatura Brasileira e ponto quase final...

Confesso que não tem sido uma tarefa fácil, logo eu que imaginei muitas leituras com autores do passado, porém, tais desafios são mais do que complicado neste novo tempo novo...

Lembro que na minha época do antigo “Ginásio” e por meio das aulas de “Português” com uma professora superexigente, DONA MAURA e depois com o PROFESSOR LUCIANO, que era considerado um especialista em gramática portuguesa, sendo que os mesmos exigiam tais leituras com o famigerado “fichamento” que estava sempre encartado no Livro indicado...

Não me lembro de ter encontrado muitos problemas com as leituras e fichamentos, todavia, hoje, relendo alguns destes autores, entre os quais: MACHADO DE ASSIS, JOSÉ DE ALENCAR, LIMA BARRETO E GRACILIANO RAMOS, bem como, um outro autor desconhecido naquele período do Ginásio, ANTONIO CANDIDO, pode-se afirmar que estou encontrando dificuldades com o “português” destes autores...

Mas, como afirma o dito popular que “tem mal que vem pra bem”, nada melhor do que tentar dar a volta por cima de um jeito ou de outro nos desencontros com as obras, a saber: CONTOS (Machado de Assis), IRACEMA (José de Alencar), CINCO MULHERES (Lima Barreto), VIDAS SECAS (Graciliano Ramos) e TERESINA E SEUS AMIGOS (Antonio Candido)...

Também, tendo todo o tempo deste tempo, fica mais ou menos tranquilo tentar entender o pensamento literário destes autores que são considerados referências quando o tema é LITERATURA BRASILEIRA...

O interessante nesta volta ao passado pelas leituras citadas acredito que fiquei com um “novo olhar” sobre tais “obras literárias”, além de retomar as consultas ao velho e excelente DICIONÁRIO AURÉLIO (impresso) para uma ou mais explicações quanto a esta ou aquela palavra registrada pelos autores nos livros...

E tem mais, recomendo que os/as leitores/as que acompanham a minha FANPAGE “EMPÓRIO SEBAR” que busquem redescobrir tais autores e outros/as que estão um tanto quando esquecidos nas bibliotecas particulares, acadêmicas ou públicas...

QUEM LER VAI ENTENDER...  

Publicidade

Cóz Jeans
Tio Panda Adamantina

Publicidade

Insta do Siga Mais