Crônicas Provincianas

A mídia no contexto da metacomunicação...

Uma leitura sobre mídia, mercado, poder e o cidadão.

Sérgio Barbosa | Jornalista diplomado e professor universitário | sebar@uol.com.br Colunista
Sérgio Barbosa | Jornalista diplomado e professor universitário | sebar@uol.com.br
(Imagem: Pete Linforth/Pixabay). (Imagem: Pete Linforth/Pixabay).

“A massa mantém a marca, a marca mantém a mídia e a mídia controla a massa.” (George Orwell)

 A mídia deste PAÍS DO FAZ DE CONTA continua divulgando fatos relacionados com as novas propostas do atual governo BOZZONARO, bem como, diversos desencontros patrocinados e mediados pelo cenário mundial em tempo de PANDEMIA...

Interessante acompanhar os meios de comunicação nesta empreitada, pois, os fatos acabam enrolando as notícias e vice-versa, ainda bem que neste caso específico, sempre aparece algum interlocutor para amenizar o impacto da reportagem em meio aos desencontros de uma mesma informação...

Para tentar entender os códigos desta metacomunicação é preciso estar em dia com a história dos velhos tempos, principalmente no caos desta verdadeira batalha pelo furo jornalístico em tempo de pós-globalização midiática...

A denominada grande imprensa continua buscando alternativas para comercializar a matéria prima do jornalismo como meio e não fim do processo, criando desta forma, um sistema viciado e perigoso para o receptor em tempo de REDES SOCIAIS e FAKE NEWS...

Os processos midiáticos contemporâneos estão na pauta das grandes corporações de mídia em nível mundial, proporcionando todas as ALIANÇAS ou ACORDOS possíveis pelas denominadas ORGANIZAÇÕES que atuam na área da MÍDIA em nível GLOCAL, ou seja, do GLOBAL para o LOCAL...

No final dos anos 90, o pesquisador Denis Moraes, denominou como PLANETA MÍDIA tais atividades relacionadas com a MÍDIA, assim, os meios acabaram se transformando pelas descobertas decorrentes da informática na área comunicacional, quando tudo se transforma em segundos pelas fibras óticas ou um toque no teclado disto ou daquilo com apoio AMPLO, GERAL e IRRESTRITO das REDES SOCIAIS...

É preciso estar em conexão com a REDE, se possível em sintonia com as alterações que ocorrem sem mais e sem menos para todos os lados e áreas do MERCADO ORGANIZACIONAL como INÍCIO e MEIO, porém, sem aquele FINAL ou FIM disto ou daquilo...

Neste cenário da METACOMUNICAÇÃO ou METAMÍDIA, depende de cada escolha entre uma única alternativa, pode-se registrar que tudo é permitido e não existe um padrão moral ou ÉTICO para tais considerações, haja vista os interesses ECONÔMICOS que atuam no MERCADO ORGANIZACIONAL...

Entretanto, as centenas de descobertas do outro e do início deste NOVO SÉCULO continuam manipulando todas as possibilidades em nome desta ou daquela BANDEIRA (sic) e o SENSO COMUM acaba predominando frente aos ocasos de um talvez e ponto quase final...

No caso em especial deste PAÍS DO FAZ DE CONTA em tempo de COISO com suas COISAS, ainda, seguindo o PADRÃO SEM NOÇÃO das MENTES BOVINAS, pode-se escrever que continua valendo aquela frase máxima da área da PUBLICIDADE, ou seja, NADA SE CRIA, TUDO SE COPIA ou então um outro posicionamento um tanto quanto controvertido, a saber: OS FINS JUSTIFICAM OS MEIOS...

A imprensa deste PAÍS DO FAZ DE CONTA com suas pautas direcionadas e manipuladas continuam sob as ASAS de uma PSEUDO-LIBERDADE, também, estão distante da REALIDADE em todas as áreas das denominadas POLÍTICAS PÚBLICAS em tempo de DESGOVERNO BOZZONARO...

As propostas mediadas pela METACOMUNICÇÃO estão em CÓDIGO para as MENTES BOVINAS que continuam seguindo o BERRANTE de sempre neste PAÍS DO FAZ DE CONTA...